Escola da Prefeitura de Manaus está entre as 15 escolhidas como polo do Programa Escola 2030

Foto: Divulgação

O trabalho da rede municipal de ensino da Prefeitura de Manaus foi reconhecido mais uma vez nacionalmente. Entre as 15 unidades do Brasil que vão compor o “Programa Escola 2030” de pesquisa-ação -que busca avaliar, desenvolver e disseminar boas práticas para a educação de qualidade de crianças e jovens- está a escola Professor Doutor José Aldemir de Oliveira, inaugurada este ano pelo prefeito Arthur Virgílio Neto.

“Ao mesmo tempo que me surpreendo positivamente, vejo que esse reconhecimento é o resultado de um trabalho feito com empenho e muita dedicação pelos nossos valorosos educadores. Saímos do 23º lugar e alcançamos o nono no índice da Educação Básica, o Ideb, investimos em melhorias nas escolas e professores, dos alunos, mesmo durante a pandemia, e agora uma escola nossa recém-inaugurada está selecionada a participar de um programa nacional. Para mim, não há melhor legado, que deixar um bom caminho para a educação dos futuros cidadãos manauaras”, destacou o prefeito.

As duas unidades de ensino desenvolvem um trabalho integral e democrático, com a participação dos alunos, equipe escolar, comunidade, pais ou responsáveis. O Cime tem como eixo norteador os princípios humanos e a educação popular.

“A Secretaria Municipal de Educação, a Semed, fica muito honrada e feliz em ter duas unidades participando do Escola 2030, um programa que avalia e dissemina boas práticas para uma educação de qualidade voltada para crianças, jovens e adultos. A prefeitura desenvolve um trabalho valoroso, que é muito importante para a educação de Manaus, por isso, vai ser muito bom compartilhar as nossas experiências, por meio dessas duas unidades polos, com outras cidades e países que participam do Escola 2030. O Cime e a Waldir Garcia foram construídos dentro do padrão integral de escolas de qualidade da gestão do prefeito Arthur Neto”, disse a subsecretária de Gestão de Educação, Euzeni Araújo.

O programa é uma parceria entre Instituto Ashoka, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo e Itaú Social e tem como referência o “Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4 (ODS4)”, que busca assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, além de promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos.

A duração do programa é de dez anos (2020 a 2030), e os atores centrais são mil organizações educativas, sendo cem em cada um dos dez países participantes: Brasil, Afeganistão, Índia, Paquistão, Portugal, Quênia, Quirguistão, Tajiquistão, Tanzânia e Uganda. As organizações educativas serão consideradas “laboratórios de inovação” para a aprendizagem de qualidade ao longo da vida, envolvendo diretamente uma rede de aproximadamente 50 mil educadores e 500 mil estudantes.

Para Zilene Trovão, gestora do Centro Integrado Municipal de Educação, o primeiro de Manaus, estar entre as 15 escolas escolhidas para ser polo do programa foi uma grande surpresa.

“É uma honra muito grande para toda equipe escolar do Cime já no nosso primeiro ano de trabalho fazer parte de uma ação global sobre a inovação da educação. O Cime é a cara do Escola 2030, nós estamos sendo vistos como uma unidade de referência pelo método de ensino e estrutura, que é um dos maiores entraves no Brasil, já que muitas não oferecem um local de ensino bom para os alunos, além de trabalhar um ensino tradicional. Nossa meta é seguir a metodologia de países que estão bem avançados, nós queremos ser referência nisso”, pontuou Zilene.

A escola municipal Waldir Garcia, no São Geraldo, zona Sul, é a primeira de educação integral de Manaus, e uma das frentes de destaque é a valorização da diversidade a partir do trabalho integrado de alunos nascidos no Brasil e imigrantes.

“É um prazer estar à frente da administração da escola e fazer parte do programa Escola 2030, junto com 15 escolas polos e nós somos uma dessas da região Norte. Estamos representando o Brasil nesse programa e vamos mostrar ao mundo as nossas ações inclusivas”, disse a professora Lúcia Cristina Cortez, gestora da unidade há 15 anos, que está entre as vencedoras do prêmio nacional “Educador Nota 10”, sendo a única campeã da categoria “Gestão Escolar”.

(*) Com informações da Secom