“Estamos no final da pandemia”, diz Bolsonaro durante ato no Rio

Aline Massuca/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, durante ato pró-governo no Rio de Janeiro neste domingo (23/5), que o país está no final da pandemia de Covid-19, apesar de dados oficiais indicarem que tem havido aumento no número de óbitos. Bolsonaro também afirmou que a manifestação o anima e traz autoridade para ele agir em nome do povo.

“Estamos no final de uma pandemia, se Deus quiser. Espero brevemente partimos para normalidade”, disse, em discurso no Aterro do Flamengo.

“Enquanto isso, uma manifestação como essa, onde tivemos um amplo apoio de motociclistas de todo o Brasil, isso nos anima, isso nos traz oxigênio, isso nos traz responsabilidade e autoridade também para poder agir em nome de vocês”, continuou.
Bolsonaro ainda frisou a seus simpatizantes que irá agir para assegurar a liberdade do povo. O mandatário é crítico ferrenho de medidas de restrição de circulação, adotadas por governadores e prefeitos com o objetivo de conter a propagação do coronavírus.

“Nós temos o sagrado direito de ir e vir, nós temos o direito de trabalhar, nós temos o direito de professar nossa fé, ir às igrejas e se encontrar com Deus. Esses direitos não podem ser usurpados”, disse.

Em resposta ao pronunciamento do presidente, a multidão gritou “Eu autorizo”, frase que passou a ser proferida por seus simpatizantes depois que Bolsonaro falou na possibilidade de editar um decreto para impedir o lockdown em estados e municípios.

O chefe do Executivo está acompanhado do filho e vereador do Rio Carlos Bolsonaro (Republicanos), dos deputados federais Helio Lopes (PSL-RJ), Marco Feliciano (Republicanos-SP), Carlos Jordy (PSL-RJ) e Filipe Barros (PSL-PR) e dos ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura) e Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil).