Estudantes indígenas de sete municípios terão curso técnico de Agente de Saúde

Indígenas dos municípios de Benjamin Constant, São Paulo de Olivença, Amaturá, Santo Antônio do Içá, Maués, Borba e Autazes terão um curso técnico de Agentes Indígenas de Saúde. Promovido pela Secretaria de Estado de Educação e Qualidade de Ensino (Seduc), a formação inicia neste mês.

Segundo o diretor do Departamento de Políticas e Programas Educacionais (DEPPE), Nilton Carlos, cerca de 250 agentes serão habilitados para atuar nos municípios. “Após a habilitação, os agentes desenvolverão ações de cuidado e proteção da saúde indígena de suas comunidades”, explicou.

Um dos principais objetivos da formação envolve habilitar os cursistas como agentes de prevenção de doenças e promover o uso dos saberes tradicionais. O curso terá ainda interfaces com as áreas de Assistência Social, Educação, Meio Ambiente e Cidadania, auxiliando e desenvolvendo de atividades inerentes à profissão.

Etapas

Nessa primeira etapa, o curso será ministrado nos municípios de forma presencial e simultânea, de acordo com o técnico da Gerência de Educação de Escolas Indígenas (GGEI) e membro do Conselho Estadual de Educação Escolar Indígena (CEEI/AM), Alcilei Vale Neto.

“A formação presencial deve assegurar a profissionalização dos discentes, garantindo o direito de exercerem a profissão de maneira legal, modificando suas vidas, bem como das comunidades em que atuam, possibilitando ainda a continuidade de estudos”, disse Alcilei. “Os alunos farão o curso no contraturno ao período de seu ano letivo normal, de Ensino Médio”, completou.

A estrutura do curso possui um total de 3.860h (três mil oitocentos e sessenta horas), sendo: 2.520h (duas mil, quinhentos e vinte horas) para o Ensino Médio, e 1.340h (mil trezentas e quarenta horas) para a parte técnica, onde estarão inclusas 300h (trezentas horas) de Prática Profissional. A diplomação acontecerá após o aluno concluir carga horária total que o habilitará em Técnico de Nível Médio em Agente Indígena de Saúde.