Estudantes perdem processo seletivo do TJAM por falta de ônibus para local de prova

POPULARES RECLAMAM DE ONIBUS VELHOS E LOTADOS.

No dia 30 de março, a tarifa do transporte coletivo foi reajustada pelo prefeito de R$ 2,75 para R$ 3, mas apesar do aumento os péssimos serviços prestados pelas empresas do sistema continuam os mesmos. É humilhante o que foi visto, ontem, no domingo, nas paradas de ônibus, quando jovens desesperados esperavam há mais de uma hora por um coletivo porque iriam participar das provas para estagiários do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJA).  As provas iniciaram as 8h:30min , mas os portões fora fechados às 8h, conforme pré-determinado em edital. Às 6h30min as paradas já estavam cheias de gente e, às 7h40min os ônibus não tinham passado.

A única alternativa para quem não quis deixar de participar do processo seletivo foi pegar um táxi. Muitos estudantes deixaram de ir por falta de transporte. Um exemplo do desrespeito dos empresários ficou visível com a espe ra revoltante de coletivos nas linhas de ônibus 451 e 446, que fazem o percurso do Parque das Laranjeiras para a Cachoeirinha, onde fica a Escola Superior de Ciências da Saúde, local onde as provas foram realizadas. Os usuários esperaram quase duas horas por ônibus dessas linhas. Essa foi à troca que, mais um prefeito de Manaus, desta vez Artur Neto, fez com empresários, o aumento da passagem em troca do humilhante serviço prestado à população.