Eu já vi ovo virar cuspe – afinal tudo é melento mesmo – mas abraço virar golpe “mata- leão”, só se for em eleição!

Artur - melo - Montagem

No Reino do Faz de Conta nada se perde, nada se cria, tudo se transforma em voto. Foi assim que, na eleição passada, quase se cria uma nova teoria evolutiva para a discussão filosófica do que veio primeiro, o ovo ou a galinha. Nesse caso só tinha ovo, nada de galinha, já que o Conselho de Mágicos dos reizinho (com sua armadura de lata) Artur , pegou a ideia de um bobo da corte que decidiu arremessar um ovo – dizem que era cuspe – e transformou num monte de votos. E não se falou em outra coisa durante toda a eleição, nem de projetos, nem de realizações.  Era só o negócio do tal do ovo que já enchia o saco. E o reizinho, com lágrimas nos olhos e se dizendo perseguido pela rainha comunista má (Vanessa) encheu a urna de votos, apena com um ovo.

E chegou nova eleição e o reizinho decidiu eleger o “mestre” de seu Conselho de Mágicos, o Mestre dos Magos.  Só que não tem mais ovo pra transformar em voto já que foram todos distribuídos pras crianças comerem com pirão de farinha nas escolas porque não tem nem merenda escolar no reino. E também tem o fato de que o reizinho tá cansado desse negócio de administrar. Ele gosta mesmo é de brincar com suas roupinhas de herói operário, cor de abóbora, fosforecente, escrito nas costas com letras garrafais: “Prefeito”. E de tirar foto “trabalhando” em coleta de lixo, ou em desabamento de adutora da Manaus Ambiental, ou em enchente de bueiro entupido, ou saltando de paraquedas (devidamente agarrado no instrutor)…Sem contar que ele gosta mesmo é de brincar de playmobil e de lego com seu filho promogênito, e foi assim que teve a ideia de ensinar para seu mestre dos magos como criar uma teoria da conspiração – parecida com a do ovo – onde uma superestrutura como a do Proama ia desmoronar que nem pecinhas de Lego por causa de uma balsa enviada por uma tal Legião do Mal. Mas não colou porque o povo não tá afim de brincadeira de brincadeira de Lego, quer é água e ponto final.

E como o mestre dos magos tá pra ser expulso do reino pelo povo de saco cheio de tanta mágica onde sempre se dá mal, agora vem “O conto do general (Braga) malvado que aplica mata-leão”, uma história que o reizinho e seu mestre dos mágicos passou para os escribas de aluguel ( escritores  a serviço do rei na antiguidade) depois de usar a arma mais antiga de “batalhas eleitorais” – aquela em que se paga um fotógrafo pra ficar clicando bem na cara do sujeito, tirando foto de tudo que é aliado do candidato dizendo que vai dedurar pro mestre dos mágicos e seus feiticeiros-prefeitos do interior (que fazem sumir dinheiro e aparecer na suas contas), e de quebra ainda xinga a mãe do cara disfarçadamente pra ele perder as estribeiras.

Os escribas-blogueiros conhecem como ninguém essa “mágica” que uns já usaram, e não foi pouco, a serviço de seus reis-empresários. Será que eu conto esse conto? – os leitores do Radar sabem que eu vou acabar contando né mesmo? Mas, o general se conteve e foi pedir pro fotógrafo Joel, que trabalha pro feiticeiro-prefeito de Maraã, Cícero Lopes, que tirasse uma foto com ele (pra entregar pro seu chefe ao invés de ficar intimidando as pessoas humildes ). E aí aparece um bobo do Exército que cai na esparrela de puxar a máquina, agir com destempero. E foi o que a trupe do reizinho e do mestre dos magos estava esperando pra transformar o abraço num tal de golpe mata-leão, que o reizinho Artur conhece bem porque diz que é faixa preta de jiu-jitsu (nesses momentos ele usa seu quimono preto fosforescente onde está escrito prefeito jiu jiteiro) . E dessa vez, vai ter que dar certo a mesma “mágica” do ovo e da rainha comunista má, para criar o general malvado que deu um golpe mata-leão no pescoço de um pobre rapaz. Afinal, o mestre dos magos está pra levar um mata-leão eleitoral, se não levar uma mata-leão antes do próprio reizinho jiu jiteiro porque não tá querendo nem na “porrada” declarar seu apoio a Aécio Neves para presidente . (Any Margareth)