Evento de MMA com participação do prefeito de Borba (AM) será investigado pela FVS

O prefeito de Borba foi declarado vencedor da luta mesmo após levar vários golpes do adversário

simao peixoto borba luta mma

Foto: Reprodução / Redes sociais

O evento de MMA que aconteceu neste fim de semana em Borba, distante a 150 quilômetros de Manaus, poderá ter um desfecho negativo. Isso porque a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), pediu esclarecimentos sobre a realização das lutas, que teve o prefeito do município, Simão Peixoto (Progressistas), como um dos participantes.

Conforme as imagens divulgadas em transmissões nas redes sociais, o evento aconteceu na quadra de uma escola da cidade e gerou aglomerações, desrespeitando as regras do distanciamento social, e muitas pessoas estavam no local sem máscaras.

A FVS-AM informou que monitora os eventos com público realizados no estado e vai pedir da Prefeitura de Borba explicações sobre as imagens divulgadas do evento.

Segundo a fundação, os eventos municipais são de responsabilidade das prefeituras e eventos com público estão autorizados, por Decreto Estadual, com orientações para serem cumpridos os protocolos sanitários de prevenção à Covid-19. Sendo assim, o prefeito poderá ser multado.

Simão lutou com o ex-vereador da cidade, Erineu da Silva, mais conhecido como “Mirico”. A luta foi marcada para a noite de sábado (11), mas só começou por volta das 02h deste domingo (12).

No final da luta, mesmo após levar vários golpes de “Mirico”, o prefeito Simão Peixoto ainda foi considerado vencedor da disputa.

Vale ressaltar que o boletim epidemiológico da FVS-RCP registrou 125 novos casos por Covid-19, totalizando 431.528 casos confirmados da doença no Estado.

Decreto

Recentemente, o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 do Governo do Amazonas decidiu suspender a realização de eventos com mais de 3 mil pessoas em território amazonense. As medidas foram terá validade no período de 15 de dezembro de 2021 a 15 de janeiro de 2022.

Além dos novos limites para festividades, o Comitê também decidiu aumentar o valor máximo da multa para organizadores que descumprirem protocolos sanitários. A multa subirá de R$ 50 mil para R$ 500 mil. O comitê também vai recomendar que não sejam realizados eventos públicos de comemoração de Natal e ano novo pelas prefeituras.

Os eventos com presença de público não poderão superar a lotação de três mil pessoas e deverão se limitar a 50% da capacidade física do espaço, em qualquer hipótese. Isso significa que se o estabelecimento suportar 3 mil pessoas, no máximo, 1,5 mil lugares poderão ser ocupados.

Nota da FVS-RCP

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Dra Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) informa que monitora eventos com público realizados no Estado e que não recebeu solicitação de parecer técnico do evento ocorrido em Borba.

A FVS-RCP reforça que eventos municipais são de responsabilidade das prefeituras e que eventos com público estão autorizados, por meio de Decreto Estadual, com orientações para que sejam cumpridos os protocolos sanitários de prevenção à Covid-19.

Cabe ressaltar, ainda, que o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 do Governo do Amazonas decidiu suspender a realização de eventos com mais de 3 mil pessoas no Amazonas, a partir de 15 de dezembro.

A FVS-RCP destaca que o descumprimento dos protocolos sanitários por meio dos organizadores é um risco para sociedade, podendo gerar um retrocesso na flexibilização dos serviços diante da mudança de cenário epidemiológico da doença em Manaus.

Confira o vídeo do evento