Ex-proprietário da ‘Norte Serviços’ será conduzido por policiais para depor na CPI da Saúde

Foto: Reprodução

O ex-proprietário da empresa Norte Serviços Médicos, Vinicius Souto dos Santos, será conduzido por policiais para depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde na Assembleia Legislativa do Estado  (Aleam).

O depoimento estava previsto para esta quinta-feira (23), mas o empresário não compareceu.

De acordo com o presidente da CPI e autor do requerimento de condução coercitiva (condução por policiais), deputado Delegado Péricles, o depoimento de Vinicius Souto é de grande necessidade para o andamento das investigações.

O deputado Wilker Barreto (Podemos) votou a favor do requerimento e apontou que a ausência do depoente foi proposital.

“Foi uma desculpa com o intuito de não comparecer à comissão e tem caráter pedagógico (condução coercitiva) para futuros interrogatórios”, disse o parlamentar.

Além dele, o deputado Serafim Corrêa ressaltou a possibilidade de influência de terceiros, que estariam interessados no silêncio de testemunhas da CPI.

“O que está havendo, a meu ver, é que pessoas por trás da Criselidia (atual proprietária da empresa Norte Serviços) e do doutor Vitor estão fazendo de tudo para que eles não falem porque no dia em que eles abrirem a boca, vão revelar coisas que a sociedade vai se espantar”, salientou Serafim.

De 2017 a 2020, a empresa Norte Serviços Médicos tem 99 processos indenizatórios e recebeu um total de R$ 24,9 milhões dos cofres públicos. Um desses processos indenizatórios descritos pelo deputado Delegado Péricles foi a realização de exames médicos em mulheres (Colposcopia e Conização) nos municípios de Guajará, Ipixuna e Envira.

Por apenas quatro dias de serviços prestados a empresa teria ganho quase R$ 900 mil, o que significa que recebeu um pagamento do Estado por paciente de R$8.680,00 quando numa clínica particular, esses procedimentos custariam no máximo R$1 mil para o mesmo serviço.