Exclusivo: gravação telefônica mostra coronel dando ordem para tirar PMs do Ronda no Bairro e mandar para o interior conseguir votos para Melo

O Radar teve acesso a conversas telefônicas que teriam ocorrido no segundo turno das eleições para o Governo do Estado, em 2014.  Segundo a fonte que entregou as gravações telefônicas ao Radar, no primeiro turno das eleições, a polícia militar já vinha sendo usada para cumprir “missões” na campanha à reeleição do governador José Melo. Mas, no segundo turno eleitoral, após o adversário do governador, então senador e hoje ministro Eduardo Braga (PMDB) ganhar no primeiro turno por uma pequena diferença de votos, o aparelho policial do Estado foi usado de uma maneira absurda, não importando se os atos eram ilegais, ou se a cidade ficaria sem policiamento.

“O governador parecia desesperado pra conseguir votos. Braga tinha vencido no primeiro turno. Os oficiais diziam que tinham que ganhar a eleição de qualquer jeito. Não dá nem pra calcular o número de policiais que foram mandados para o interior, e o pior que não era pra qualquer município, mas para as suas cidades de origem, onde estavam as famílias, os amigos, seus domicílios eleitorais, onde agiam livremente trabalhando como cabos eleitorais, fazendo pressão em cima de todo mundo”, diz a fonte, lembrando que policial no interior é tratado com a mesma autoridade de juiz ou de promotor.

Nessa gravação que o Radar traz agora, quem estava ao telefone era ninguém menos que o então secretário executivo adjunto do programa Ronda no Bairro, coronel PM Roosevelt. Ele dá ordem para retirar policiais militares de várias Companhias Interativas Comunitárias (Cicoms) para enviar a municípios do interior do Estado: Tabatinga, Itapiranga, Iranduba, Rio Preto da Eva, Lábrea e Itacoatiara, para cumprir “missões” na campanha à reeleição do governador José Melo.

O coronel determina que a lista com o nome dos policiais militares seja levada para o coronel PM James Frota, na época comandante do CPI (Comando de Policiamento do Interior), e hoje Comandante geral da Polícia Militar. (Any Margareth) –  ouvir áudio