Exportações do Amazonas somam US$ 55,816 milhões em setembro

As exportações globais do Amazonas somaram US$ 55,816 milhões em setembro, uma queda de 24,52% em comparação ao mesmo mês de 2018, e de 7,82% em relação a agosto de 2019. Venezuela e Colômbia foram destinos de 36,52% das exportações locais. As informações são da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), divulgadas nesta quarta-feira (6).

Entre os principais produtos exportados, motocicletas e outros ciclos apresentaram variação negativa na comparação com agosto de 2019 (-2,04%) e com setembro de 2018 (-65,94%), numa queda influenciada pelo aumento das vendas no mercado interno. Outras preparações alimentícias (Preparações para bebidas entre outros) apresentaram crescimento de 41,25% na comparação com setembro de 2018, tendo como principal destino a Colômbia (equivalente a 64,27% das exportações para esse país).

A Venezuela foi o principal destino das exportações em setembro (22,93% de participação), sendo o óleo de soja o produto de maior participação na pauta de exportação para esses pais (participação de 30,75%). No geral, esse produto apresentou crescimento de 265,97% na comparação com agosto de 2019.

As importações do Amazonas em setembro registraram o valor total de US$ 920,341 milhões, representando 5,58% de participação nas importações do Brasil. Em relação a agosto de 2019, ocorreu um aumento de 6,75%, e em comparação a setembro de 2018, houve um crescimento de 9,06%.

Isso reflete o déficit da balança comercial, com aumento de 7,85% em relação a agosto de 2019, e de 12,29% na comparação com setembro de 2018. Esse aumento nas importações foi provocado pelo aumento da demanda por componentes para produção de aparelhos eletrônicos e petróleo.

Corrente do Comércio

A Corrente de Comércio do Estado do Amazonas (soma das importações com as exportações) totalizou US$ 976,158 milhões. Na análise por município, Manaus lidera as compras e vendas com o total US$ 968,271 milhões, seguido por Presidente Figueiredo, que alcançou o valor de US$ 3,397 milhões.

Em setembro, a participação do Amazonas na Corrente de Comércio do Brasil alcançou os 2,77%. A capital Manaus registrou aumento de 6,79% na comparação com setembro de 2018, e de 5,80% na comparação com agosto de 2019. Esse crescimento de Manaus se deve ao aumento nas importações, que compensaram a queda nas exportações.

Com informações da assessoria da Sedecti.