Facção criminosa oferece US$ 5 mi a quem matar presidente do Paraguai, diz revista

O Primeiro Comando da Capital (PCC) está oferecendo um prêmio de 5 milhões de dólares a quem matar o presidente do Paraguai, Horácio Cartes. O grupo criminoso, que tenta monopolizar o tráfico de drogas no país vizinho, quer evitar a extradição do traficante brasileiro Jarvis Chimenes Pavão. As informações são da revista Veja.

O ministro do Interior do país, Francisco de Vargas, afirma que agentes de inteligência do país encontraram informação “sólidas” sobre a ameaça ao presidente. A segurança de Cartes e de sua família foi reforçada após a descoberta do plano.

Admirador do traficante colombiano Pablo Escobar e considerado sucessor de Fernandinho Beira-Mar, Pavão ficou conhecido há cerca de dois anos, quando a impresa paraguaia fez reportagens sobre a ‘cela de luxo’ em que ele vivia no presídio de Tacumbú.

Após vistorias, móveis planejados e objetos de decoração, cozinha gourmet, equipamentos eletrônicos e outras facilidades. Os agentes também encontraram explosivos, que poderiam ser usados para uma fuga. Depois do incidente, a ministra da Justiça do país, Carla Bacigalupo, foi demitida do cargo. Jarvis foi transferido para outra unidade prisional, cujo nome não foi revelado.

Fonte: Notícias ao Minuto