Falta de psicólogos na delegacia deixam parados 500 casos de violência sexual contra crianças (ver vídeo)

O deputado Luiz Castro (Rede), em tom de preocupação e indignação, disse que o Amazonas começará 2018 com um déficit de 500 casos de violência sexual contra crianças e adolescentes que estão parados por falta de profissionais para atendimento a essas crianças, como por exemplo, psicólogos e assistentes sociais. Segundo castro, esses profissionais foram retirados da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA).

Os dados foram confirmados nessa terça-feira (19) por Graça Sales, coordenadora do Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes. A reunião do (CEVSCA-AM) aconteceu na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam).

A ausência de psicólogos na delegacia é apontada por Graça Sales como um dos fatores mais preocupantes. “Este profissional é de suma importância em todo o processo, especialmente quando a criança vem contar a violência que sofreu. A falta de psicólogos e assistentes sociais na DEPCA equivale a ir em um hospital e não ter médico”, assinalou a coordenadora.

Luiz Castro, denominou a situação de “absurda” e explicou que o atendimento psicossocial é indispensável principalmente quando se trata de crianças pequenas que têm dificuldade de contar sobre a agressão sofrida.