Falta de respeito: falta ônibus no final de semana

O que se viu ontem, nas paradas de ônibus, em pleno domingo, quando o trabalhador da nossa cidade deveria ter o direito de sair com a família para ter um momento de lazer, visitar parentes, ou ir ao cinema, foi o total desrespeito dos empresários do setor de transporte coletivo, que afrontam a nossa inteligência, e a nossa paciência, tripudiam do povo da nossa cidade, certos de que não serão punidos. E nunca foram e não serão mesmo. O cidadão da nossa cidade, após uma semana inteira de trabalho, é obrigado a ficar enclausurado dentro de casa com a família, porque só em pensar de utilizar o transporte coletivo, ele desiste. Afinal, ele já tem que enfrentar esse “inferno” todos os dias, esperando um ônibus que demora, quando vem ainda é superlotado, é sujo, as janelas não abrem direito, o calor é insuportavel e, de tão ve lho acaba “pregando” no meio do caminho. E aí, lá vai o cidadão pro meio da rua, no sol quente, esperar outro ônibus passar. Se já enfrenta isso durante a semana, pra quê passar por isso no final de semana, não é mesmo? E, em troca do sofrimento do nosso povo, os empresários ainda recebem de presente, um reajuste de tarifa pra aumentar os seus lucros.

Que se faça justiça!

E os estudantes que sempre são lembrados, nos discursos politicos cheios de frases de efeito, falando de valorização do jovem em busca de um futuro digno, ficaram esquecidos nas paradas de ônibus, num dia de provas para estagiários, no Tribunal de Justiça do Estado. Quem sabe, aqueles que conseguiram chegar a tempo (de táxi) de participar do certame, e caso consigam uma vaga na corte de Justiça do Estado, não esqueçam que um dia isso aconteceu com eles e com outros cidadãos dessa cidade, e que façam justiça para com a população de Manaus.

Falta vergonha

A apenas nove dias, o prefeito Artur Neto concedeu um reajuste na tarifa passando o valor de R$ 2,75 para R$ 3. E o que se viu (e ouviu em alto e bom som) do próprio prefeito, de grande parte dos vereadores (com raras excessões), e de deputados estaduais (idem), e dos “notáveis da area de transporte da Prefeitura), que inclusive foram ao plenário do Legislativo para justificar o aumento, foi: “a tarifa estava congelada há anos, o aumento foi abaixo da inflação, os gastos dos empresários (coitadinho deles) com peças e combustível aumentaram, os empresários vão renovar a frota e modernizar o setor e etc, etc, etc…E do sofrimento do povo com esse transporte coletivo deficitário, ninguém vai falar? E quem vai cobrar dos empresários que eles não continuem reduzindo a frota nos finais de semana, ninguém? E quem vai pra rua, ao s finais de semana, pra saber que  o povo está sem transporte, também ninguém? Há de se ter vergonha de deixar nosso povo ser tratado desse jeito!