Família que foi alvo de atentado a bala por parte de policial diz que tem medo de voltar pra casa (ver vídeo)

Marcas de tiro no quarto da criança de dois anos Foto: Reprodução

“Não temos segurança em voltar pra casa, só iremos voltar para pegar as nossas coisas e com reforço policial”, disse EduardoMartins Michiles, que sofreu um atentado a bala nesse domingo (13), em um condomínio na zona Norte de Manaus. O acusado de ter dado pelo menos dez tiros no apartamento em que mora Eduardo, sua esposa e o filho de dois anos, é um Policial Militar (PM), identificado apenas como André Felipe.

Em um vídeo em que Eduardo publicou em suas redes sociais denunciando o atentado, é possível ver o estrago que os disparos fizeram no quarto de seu filho, de apenas dois anos, que só não foi atingido pelos disparos pelo fato de estar no quarto dos pais.

“Foi assustador eu minha esposa pensamos que era uma troca de tiros, quando escutamos os barulhos nos abaixamos e tentamos alcançar a sala. Quando entramos no quarto vimos o estrago que esse criminoso fez, podendo ter matado meu filho. Agora meu filho está com o psicológico totalmente abalado acorda chorando e minha mulher está a base de calmantes”, disse Eduardo

Em nota a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) informou que o PM foi ouvido na Corregedoria de Geral do Sistema de Segurança. Mas, que se saiba, o  policial solto. A vítima também foi ouvida, na manhã desta segunda-feira (14) para dar sua versão sobre os fatos.

Eduardo explicou durante entrevista ao Radar, que no condomínio, o limite para eventos no salão de festa é até meia-noite, no entanto, ele percebeu que já era quase uma hora da madrugada do domingo e a festa continuava. Ele fez um vídeo e denunciou para a síndica do condomínio. Só que, ao invés de tomar as providências para acabar com a festa até altas horas, a síndica fez foi enviar o video para alguém da festa, expondo o morador denunciante, no caso Eduardo.

Segundo ele, nunca havia falado com o PM e nem sequer sabia que ele morava no condomínio.

Confira a nota na íntegra

A Polícia Militar do Amazonas informa que tomou conhecimento das acusações e que será instaurado um Procedimento Administrativo pela Diretoria de Justiça e Disciplina (DJD/PMAM), no qual serão apuradas as circunstâncias do ocorrido e possibilitando às partes envolvidas a apresentação da sua versão dos fatos, respeitados os princípios da ampla defesa e contraditório. 

A Polícia Militar do Amazonas não compactua com atos que contrariem a lei e a ordem e reitera seu compromisso com o dever de servir, proteger e preservar os direitos individuais e coletivos, visando o bem comum. Todos os elementos apresentados durante o processo investigatório serão apurados com a transparência que o caso requer.

 A Corregedoria Geral do Sistema de Segurança também informa que adotou todas as medidas cabíveis para apuração dos fatos, inclusive fez o contato com a vítima para verificar todos os detalhes da situação. A Corregedoria determinou, ainda, abertura de um inquérito na Polícia Civil e um inquérito na Policial Militar para aprofundar as investigações sobre o ocorrido. A arma do policial será apreendida e periciada. O apartamento onde houve os disparos também passará por perícia. O militar foi ouvido na manhã desta segunda-feira (14/09) na Corregedoria.

Confira o relato da vítima na íntegra

Homem que sofreu atentado de um PM dentro de condomínio dá detalhes sobre o caso

Homem que sofreu atentado de um PM dentro de condomínio dá detalhes sobre o caso.

Posted by Radar Amazônico on Monday, September 14, 2020