Familiares de soldado encontrado morto em batalhão do Exército organizam manisfestação por Justiça

blank

Foto: Reprodução internet

A partir das 8h deste sábado (8), os familiares do soldado Jonatha Correa Pantoja, de 18 anos – que foi encontrado morto no 7º Batalhão de Polícia do Exército (7º BPE)- , farão uma manifestação em frente o batalhão, localizado na avenida São Jorge, zona Oeste, para pedir Justiça.

De acordo com o familiar do jovem, Rodrigo Pantoja, até o momento o Instituto Médico Legal (IML) ainda não enviou nenhum laudo de necropsia para a família e o Exército continua mentindo por meio de notas.

“Eles estão dizendo que estão dando assistência e apoio pra família e não tem nada disso. Estamos com dois documentos do Exército em que eles se contradizem: em uma nota eles falam que o Jonatha foi levado para o hospital militar; na segunda nota eles já dizem que ele foi levado para o hospital 28 de Agosto. Então eles mesmo se contradizem nas próprias informações”, disse Rodrigo Pantoja.

Segundo o Comando Militar da Amazônia (CMA), o soldado estava de serviço no quartel quando foi ferido por um tiro de fuzil, mas a corporação não informou de onde partiu o disparo. A vítima fazia a segurança do quartel quando outros militares ouviram um barulho de tiro e, em seguida, encontraram o rapaz ao chão, agonizando.

Um Inquérito Policial Militar (IPM) foi instaurado para apurar o fato. O pai do jovem disse, ainda, que não acredita na hipótese de suicídio.

“Eles alegaram que o Jonathan teria tirado a própria vida, eu discordo, ele era um rapaz feliz alegre, ele honrava a farda que vestia e jamais iria tirar a própria vida. Ele estava vivendo um momento feliz, o orgulho dele era servir ao exército e dar orgulho para a família”, concluiu o familiar da vítima.