“Farra” das viagens na CMM: David Reis vai pro mesmo lugar tratar do mesmo assunto que outros dois vereadores já foram

Ao todo, David Reis autorizou para si mesmo e para dois vereadores gastos com as passagens e diárias, que devem ultrapassar R$ 37 mil dos cofres públicos

O presidente da Câmara Municipal de Manaus, vereador David Reis (Avante) autorizou para ele próprio gastos com passagens e diárias, para ir a Brasília, tratar do mesmo assunto que dois parlamentares da Casa já foram, em viagens distintas, em datas diferentes: o líder do prefeito na Casa Legislativa, Marcelo Serafim (PSB) e Gilmar Nascimento (União Brasil), que mal assumiu no dia 14 de fevereiro como titular, já que era suplente do vereador Sandro Maia, cassado por captação irregular de votos, e já foi viajar com passagens e diárias pagas pela Câmara. A justificativa da viagem é a mesma em todos os casos: ‘tratar de assuntos de interesse da Escolegis’. Ao todo, com as cinco passagens e mais 14 diárias, a CMM deve gastar mais de R$ 37 mil dos cofres públicos. (Confira documentos ao final da matéria).

Mas não param por aí as estranhezas que indicam uma verdadeira “farra” com dinheiro público nas constantes viagens feita por vereadores da Casa Legislativa. Um desses estranhamentos com tanto gasto para “tratar de assuntos da Escolegis” é que David Reis contratou uma empresa, em novembro do ano passado, de nome Istud Ltda, por quase R$ 6 milhões, exatamente para gerenciar os cursos da Escola do Legislativo da CMM, inclusive com a operacionalização desses cursos por Ensino à Distância e a contratação de professores.

Na época, houve inclusive denúncia de que esse preço estaria superfaturado, já que a mesma empresa presta o mesmo serviço para a Assembleia Legislativa de Roraima pela metade do preço. Diante disso, pergunta-se: Por que a empresa que possui um contrato milionário com a CMM não tratada dos assuntos da Escolegis? O que tanto os vereadores vão fazer em Brasília, já que a sede da empresa é em Boa Vista, Roraima? E, já que foi criada uma diretoria para a Escolegis, por que não deixam a diretora, Débora Cavalcante Moura, tratar desses “interesses”?

Estas perguntas, o Radar faz incessantemente à presidência da Casa, mas sem qualquer resposta. Desta vez, não foi diferente, também não obtivemos nenhuma resposta até o fechamento desta matéria.

Nada a ver com educação

E tem mais coisas esquisitas nas constantes viagens feitas pelos vereadores de Manaus pagas com dinheiro público. A viagem de Gilmar Nascimento, por exemplo, que estava marcada para os últimos dias 28 e 29 de março, tinha como justificativa a ida do parlamentar para representar a Comissão de Educação da CMM (Comed) durante evento da Associação Brasileira de Escolas do Legislativo e de Contas-ABEL e do Instituto Legislativo Brasileiro/Interlegis, realizado no Senado Federal. Acontece que no site da Câmara de Municipal de Manaus, o nome de Gilmar não aparece nem como titular ou suplente da Comissão de Educação. O gasto com dois dias de viagem do vereador Gilmar Nascimento, ficou em torno de R$ 7,2 mil, levando-se em conta o preço da passagem neste período.

Quadro mostra membros e suplentes da Comissão de Educação da CMM.

Além dele, o líder do prefeito David Almeida na CMM, vereador Marcelo Serafim, também teve passagens e diárias autorizadas em março justificando o mesmo tema (Escolegis), e viajou nos dias 8 a 10 de março. No documento, o líder do prefeito teria ido ‘discutir ações da Escola do Legislativo para o ano de 2022’. Vale destacar, que Marcelo Serafim, sequer é titular da Comissão de Educação, é apenas suplente. Os gastos realizados pelo líder do prefeito nesta viagem chegariam a quase R$ 8 mil, entre passagem e diárias, se levarmos em consideração o preço médio das viagens até Brasília no período.

Outras viagens

Além das duas viagens dos vereadores em março, o Radar mostrou que já estiveram em viagem paga pela CMM, os vereadores Yomara Lins (PRTB), Jacqueline Pinheiro (Podemos), Eduardo Alfaia (PTN) e professor Samuel Monteiro (PL) que viajaram alegando ir participar de Congresso Brasileiro de Legislativos Municipais, que iniciou no dia 22 de março e encerrou no último dia 25, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Os vereadores Rosinaldo Ferreira (PMN), Elissandro Amorim Bessa (Solidariedade) e Everton Assis dos Santos (União Brasil), que fazem parte da Comissão de Transporte, Mobilidade Urbana e Acessibilidade (COMTMUA), também foram até Curitiba “aprender” questões de mobilidade urbana. A aprendizagem sobre mobilidade urbana é uma das justificativas mais usadas para viagens de parlamentares pela CMM a outros estados.

Também terá a viagem de Raiff Matos para Goiânia, para aprender “boas práticas no Poder Legislativo”, programada para os dias 29 de março até 1.º de abril deste ano.

Veja as portarias que autorizam as passagens na íntegra