Fatos e fotos sobre a manifestação pró-Adail em Coari que só os RRs (Repórteres-Radar) captam pra você

DSC_0144

Em cima da carreta de som da empresa de sonorização dos irmãos Tiradentes, também donos da rádio Tiradentes em Coari, e que tem contrato com a prefeitura, o funcionário da Secretaria de Comunicação do município, é quem faz às vezes de animador da manifestação pró-Adail. Ele é conhecido pelo pseudônimo de Ceará Show e também atua como repórter do programa de rádio do vereador Robério Queiróz, denominado “Programa do Robério Queiróz”, com o slogan “A Voz do Povo” – onde o último que deve ter vez e voz mesmo é o povo.  “Ceará Show” menos preocupado em animar o ato público, e mais preocupado em juntar gente para a câmera da única emissora de TV presente à manifestação, a TV Rio Negro, programa “isto é Manaus”, diz sem pensar bem no que está dizendo: “Gente, venham todos pra esse lado que é pra praça parecer entupida de gente”. Ceará Show nem se deu conta que suas palavras poderiam estar desmentindo o texto do “chefe”, o titular da secretaria na qual ele (Ceará) trabalha, a pasta da Comunicação, Daniel Maciel, que afirma em seu blog que 10 mil pessoas estiveram presentes ao ato público.

DSC_0178E até que poderia ter 10 mil pessoas no local, se os secretários tivessem conseguido mobilizar apenas os funcionários públicos de Coari que atingem esse absurdo número de 10 mil pessoas, cerca de cinco mil efetivos e pelo menos o dobro de contratados. Mas, o número de pessoas presentes à manifestação mostrou que, ao contrário do que dizem os secretários, o povo de Coari não apoia Adail e seus atos, já que nem mesmo os funcionários públicos pressionados e ameaçados de demissão foram ao ato público. Para os discursos, não apareceu nenhum político de Manaus, e nem mesmo de Coari. Nem os vereadores da cidade quiseram dar uma palavrinha. Os RRs, não conseguiram captá-los nem sequer passando rapidinho pelo local, pelo jeito sumiram. Mas, um ou outro secretário de Adail, apesar de calados e quietos, estavam por lá. Como deu pra identificar no meio do povo – mesmo que eles estivessem fugindo do foco das câmeras – estavam na manifestação o secretário de Obras José Lobo, o secretário adjunto de Fazenda, o funcionário (segundo ele) licenciado do Banco do Brasil de Coari, José Verismar, o secretário de Cultura, César Vasquez, e alguns que não estão na foto, mas estavam lá, como secretário adjunto de Comunicação, Eledilson Colares, a secretária adjunta de Cultura, Marilza Ramos e um dos secretários que organizaram o evento, o secretário da Casa Civil, Julio Sales.

Mas, apesar dos secretários estarem por lá, quem assumiu ter organizado a manifestação e encabeçou também a falação foi a pouco ou nada conhecida, presidente da Associação das Mulheres Guerreiras de Coari, Silany Godinho pelo menos levando-se em consideração que ao serem indagados nenhum dos RRs (Repórteres-Radar) conseguiu dizer qual a atividade da dita senhora, qual seu ramo de atuação ou atividade profissional – a gente tentou de todas as formas publicar em respeito a ativista social. Destacamos em seu discurso a parte em que ela reclamou que “a Justiça não estaria fazendo valer o voto de quem votou em Adail”.  Além de Silany Godinho, a outra representante de segmento social presente a manifestação foi a presidente da Colônia de Pescadores de Coari Z56, a Sra. Raimunda, que seguiu o exemplo de Ceará Show e não teve o cuidado de medir as palavras: “Venham aqui pra frente, saiam debaixo das árvores. Será que vocês estão com vergonha? Vergonha não faz parte da gente, não!, disse ela tropeçando nas palavras e pisando na vergonha.

DSC_0150Também foi notada a presença de conhecidos cabos eleitorais de Adail que ocupam cargos de “assessor especial” – não nos perguntem qual a especialidade deles porque a gente não sabe – na Prefeitura de Coari. Em cima de uma caçamba, o “assessor especial” Jodate, e chamando gente para a manifestação a “assessora especial” Maria Padilha, que junto com um grupo de pessoas vestia uma camisa com uma imagem de Adail e uma frase que ninguém conseguir entender de jeito nenhum: “parabéns, amigo Adail”. Se não era aniversário de Adail, por que será o parabéns? (Any Margareth)

Padrilha