Festa da vitória: Caprichoso comemora título do maior festival de todos os tempos

Uma multidão lotou a ferradura do Sambódromo na Festa da Vitória do Caprichoso, realizada na noite desse sábado (02) em Manaus. O título do boi negro de Parintins em 2022 fica marcado na história e na memória de todos para sempre. Já passava da meia noite quando o troféu de campeão do maior festival de todos os tempos foi conduzido para o palco pelo presidente do Caprichoso, Jender Lobato; o vice-presidente, Karu Carvalho; o conselheiro de arte, Edwan Oliveira; e o presidente do Movimento Marujada, Beto Vital.

O dirigente azulado afirmou que entregou para o Brasil e o mundo, um espetáculo pautado no compromisso com o povo parintinense e todos os visitantes. “E podem ter certeza: já estamos trabalhando em um grandioso espetáculo para o próximo festival, 2023”, anunciou Lobato.

O show começou com a chamada tradicional do amo do boi, Prince do Caprichoso, seguida das aparições do apresentador, Edmundo Oran; do levantador de toadas, Patrick Araujo; e a dona da toada que virou hit do festival, a sinhazinha da fazenda Valentina Cid. Enquanto os itens se revezavam no palco, nos céus um grande show pirotécnico evoluía no ritmo da Marujada de Guerra. Na sequência, se apresentaram a porta-estandarte, Marcela Marialva; a rainha do folclore, Cleise Simas; a cunhã-poranga, Marciele Albuquerque; e o pajé, Erick Beltrão.

Os jornalistas Éric Faria e Cahê Mota pela primeira vez acompanharam um evento de Boi-Bumbá e ficaram encantados com o que viram. “É impressionante a energia, a paixão, o amor com que vocês fazem essa festa. Eu diria que todo brasileiro deveria viver essa experiência que, além de tudo, é um traço lindo da nossa cultura. Então assim, eu estou emocionado de verdade, é lindo, é lindo, parabéns para todos vocês, em especial à Parintins”, descreveu Faria.

Tanto Éric Faria quanto Cahê Mota estão acostumados a grandes coberturas de uma outra paixão da população, que é o futebol. Ao chegarem no Sambódromo, eles tinham comparativos com o carnaval, mas ao subirem no palco começaram a perceber as diferenças.

“Nós tentamos traçar um paralelo com o carnaval do Rio de Janeiro e chegando aqui, vimos que é um experiência completamente diferente. Aquilo que o Erick falou é muito importante, é uma manifestação cultural muito grande e é bonito ver o quanto vocês valorizam isso tudo, além de ser extremamente contagiante”, declarou Mota.