Festas juninas: especialistas alertam para risco de acidentes com fogos de artificio e fogueiras

Foto: Divulgação

Nesta época do ano, as festas juninas tomam conta de reuniões familiares, entre amigos e até mesmo no trabalho. Nessa hora, um alerta é aceso: o do risco de queimadura. Segundo informações da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM), o assunto é alvo de alerta do Ministério da Saúde (MS), que divulgou recomendações e cuidados para evitar queimaduras durante as tradicionais festas juninas, uma vez que não houve  o registro de atendimento a pacientes por acidentes com fogos de artifício neste ano.

Conforme os dados, entre janeiro e abril deste ano no país, já foram registrados 3.540 procedimentos hospitalares e 32.631 atendimentos ambulatoriais por causa de queimaduras.

De acordo com o ministério, em junho, aumenta o número desses casos, e a prevalência é de queimaduras de segundo grau, com destaque para as lesões dos membros superiores (mãos e braços), tronco e cabeça.

Danos também aos ouvidos

Os artefatos também são um perigo para os ouvidos e podem causar danos irreversíveis à audição. Além dos riscos com a manipulação incorreta dos fogos, o som muito forte produzido por alguns deles pode acarretar uma perda auditiva severa, um trauma acústico com perda de audição uni ou bilateral, temporária ou – nos casos mais graves – irreversível.

A SES-AM informa que nem o Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) do Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto e nem o Hospital e Pronto-Socorro da Criança (HPSC) Zona Sul, referência infantil no tratamento de queimados, registraram atendimentos de pacientes por acidentes com fogos de artifício em 2022. Somente um atendimento foi registrado entre os anos de 2019 e 2021.

Mesmo assim, o alerta do MS é importante por conta do período. A atenção deve ser especial em ambientes em que podem ser frequentes as queimaduras por líquidos quentes, chamas de fogueira e fogos de artifício.

Queimaduras

Em casos de queimadura, o paciente coloque, de imediato, a parte queimada debaixo da água corrente fria, com jato suave, por aproximadamente dez minutos, informa o Ministério da Saúde. Em seguida, aplique compressas úmidas e frias.

Se houver poeira ou insetos no local, mantenha a queimadura coberta com pano limpo e úmido. E no caso de queimaduras em grandes extensões do corpo por substâncias químicas ou eletricidade, a pessoa necessita deve procurar cuidados médicos imediatos.

Uma das dicas é nunca tocar a queimadura com as mãos; nem furar bolhas; tentar descolar tecidos grudados na pele queimada, ou retirar corpos estranhos ou graxa do local queimado. Não se pode colocar manteiga, pó de café, creme dental ou qualquer outra substância sobre a queimadura.

O Ministério da Saúde ressalta que, somente o profissional de saúde sabe o que deve ser aplicado sobre o local afetado.

A atenção ao manipular bebidas e alimentos com altas temperaturas e evitar brincadeiras perto de fogueiras são importantes para prevenir queimaduras por chamas e problemas nas vias aéreas, pela inalação de fumaça.

O cuidado ao usar produtos inflamáveis, como o álcool 70% (na forma líquida ou em gel), e não manipular o produto perto do fogo, mantendo-o longe do alcance das crianças também são recomendações importantes.

Outras recomendações são evitar fumar dentro de casa, principalmente se estiver deitado, ao acender fósforos, manter o palito longe do rosto, para não atingir cabelo ou sobrancelha, e, ao acender velas, observar se estão longe de produtos inflamáveis, botijões de gás, solventes ou tecidos.

Em caso de queimaduras elétricas, é preciso retirar o fio da tomada ou desligar a energia geral. Recomenda-se ainda o uso de protetor nas tomadas elétricas da casa. Possíveis vazamentos de gás devem ser investigados com frequência, e as crianças precisam ficar longe da cozinha durante o preparo dos alimentos. O cabo e as alças das panelas, que devem estar em bom estado, têm de ficar sempre virados para a área do fogão.

Na hora do banho, é bom testar a temperatura da água com o dorso da mão antes de molhar a criança, que deve ficar sempre longe de produtos de limpeza e há recomendação para o uso de protetor nas tomadas elétricas da casa.