As “festinhas” do governador com direito ao pessoal do “blocão” que virou “bloquinho”!

sinesio melo

Na quinta-feira (11), teve um encontro pra lá de animado, lá pelas bandas do Adrianópolis, entre o governador, José Melo, e os deputados estaduais com direito a comes e bebes da melhor qualidade e a presença de gente que até ensaiou ser de oposição, mas ficou só mesmo no jogo de cena. E nem estamos falando do deputado Belarmino Lins, o Belão, porque este sempre foi governista e não seria no seu sétimo mandato como deputado estadual que seria diferente, não é mesmo gente? E sabe de uma coisa, dá até pra simpatizar com o Belão que mostra logo ao que veio, é governista e ponto final. Porém, na “festinha” promovida para o governador reeleito “pobre e humilde filho de seringueiro”, professor José Melo, tinha mais gente que andou assinando projetos nada simpáticos aos olhos do governador, como a emenda que diminuía sua capacidade de mexer como bem entendesse nos recursos do Estado, de 40% para 20%.

PP é PROS

Um desses parlamentares, dos mais animados, no encontro festivo com o governador, foi o deputado Adjuto Afonso que até dias atrás assinava com um tal de “blocão”, que reunia 12 deputados que se autodenominavam de oposição ao governador reeleito José Melo  – pelo jeito esse blocão tá virando bloquinha. Adjuto Afonso é do PP, partido da candidata a vice-governadora na chapa do senador Eduardo Braga, ambos derrotados na eleição de outubro que anunciaram, em entrevista coletiva, oposição cerrada ao governo de Melo. Adjuto foi um dos parlamentares que assinou a emenda diminuindo a capacidade de remanejamento do Governo. Mas, de repente mudou, e agora virou relator de tudo que é parecer a favor do Governo. Pelo jeito não é PROS, mas não é contra, muito pelo contrário!

PT também é PROS

E advinha quem mais estava na festa? O deputado petista Sinésio Campos, que pelo que tudo indica vai continuar fazendo sua “mágica” de ser governo em nível nacional, mas não deixar de governo em nível local, igualzinho a parte de seu partido, o PT, que entra governo e sai governo, de Braga a Melo, e lá estão os petistas ocupando uma boa fatia dos cargos no Executivo.  O Radar já tinha captado esses sinais quando, durante a campanha eleitoral, o deputado se esquivava de fazer críticas ao governo do Estado, e timidamente só veio pedir votos para o candidato do partido ao Senado, Francisco Praciano, no apagar das luzes. Afinal, bom lembrar que Sinésio foi líder do Governo Omar na Assembleia. Esse é o PT que  sempre esteve mais pra PROS e PSD do que pra PMDB.

Há dois “deuses”

E outra presença notada no encontro noturno do governador José Melo com os deputados estaduais foi a do deputado Francisco Souza, que na tentativa de salvar seu mandato na Justiça anda servindo a dois “deuses”, transita entre as hostes de Braga e de Melo. Souza, apesar de ser da Assembleia de Deus vive sofrendo “fritação” do clã dos Câmaras – ler deputado federal Silas Câmara e seus irmãos –  acostumados que são em escolher um da turma pra ficar a pão e água nas eleições, enquanto outro vive a pão de ló e se elege. E para piorar sua situação o deputado ainda foi esquecer de fazer um simples recadastramento biométrico e tornou-se inelegível. E agora tenta reverter essa situação na Justiça, acreditando que com o apoio político de senador Braga e do governador Melo essa tarefa fica mais fácil. Só que decidiu transitar entre os dois, hora está de um lado, ora de outra. E nem o governador, nem o senador, parecem estar gostando muito disso. Corre o risco de ficar sozinho, porque quem muito quer nada tem, né mesmo? (Any Margareth)