Anúncio Advertisement

Fila gigantesca na porta do Fcecon mostra tratamento desumano dado a quem precisa de atendimento

Um fila imensa na porta da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), na manhã desta sexta-feira (27), com pessoas que chegaram de madrugada atrás de exames e consultas, mostra bem o triste quadro do atendimento dado aos pacientes com câncer ou àquelas pessoas que estão com suspeita de ter a doença. Pessoas que estavam nessa fila entraram em contato com o Radar revoltadas por, mais uma vez, enfrentarem as piores dificuldades e não conseguir atendimento.

Através de mensagens, pessoas contaram que chegou a ter mais de mil pessoas que aguardavam por atendimento na fila desde às 4h da madrugada. E ainda denunciaram que, além de ter pouca ficha pra muita gente, ainda tinha funcionário tirando da fila seus colegas, parentes e aderentes e conseguindo ficha “. Isso teria até causado tumulto na fila durante o atendimento.

Clique na imagem para ampliar

“O meu pai foi diagnosticado com câncer no estômago. Fizemos todos os exames dele em clínicas particulares. Só que não temos mais dinheiro, então vimos atrás da cirurgia aqui no Cecon. Os médicos disseram que ele precisa fazer a cirurgia urgente. Aqui marcaram uma consulta pro dia 03 de novembro e olha que foi depois de eu fazer muita confusão. E as atendentes ainda disseram que, no dia da consulta, os exames vão ser avaliados e ainda vão ver pra quando vai dar marcar pra a operação”, contou o filho do paciente, em tom de desespero. Mas, pra provar que o Radar não está de conversa fiada, está ai a guia dada para o rapaz, lá no hospital, com a data que ele deve levar o pai dele para a avaliação médica, 03 de novembro. “Quem tem câncer tem pressa”, diz o filho do paciente.

Em resposta aos questionamentos do Radar sobre a enorme fila em frente ao Fcecon e as reclamações que foram feitas, a direção da instituição se resumiu em justificar, através de nota enviada ao site, que isso foi consequência do “cadastramento para consultas de urologia ofertadas – ah palavrinha mal usada! – pela unidade hospitalar , como parte da programação da campanha Novembro Azul que iniciará no próximo mês”. – nota na íntegra no final da matéria.

Realmente está correta a direção do Fcecon quando dá a entender que o atendimento era só pra conseguir consultas com urologistas, enquanto muitas pessoas foram atrás de exames e consultas com outros especialistas. Mas a direção do Fcecon esquece que a enorme fila só vem a corroborar a falta de atendimento oncológica no Estado e que deveria dizer quando a fundação vai aumentar seus serviços e parar de “ofertar” fichas para clínicas particulares. As fichas são um paliativo diante de uma multidão precisando de atendimento médico-hospitalar.

Pra quê outubros rosas e novembros azuis, se é difícil o acesso a uma mamografia e tem homens que passam mais de um ano e não conseguem consultas com urologistas. De que vale ter conscientização, se não tem o serviço de saúde. Lacinho na lapela e discurso bonito não livra alguém da morte por não ter diagnosticado o câncer a tempo.

Leia nota do FCecon na íntegra

A direção da FCecon informa que a fila em frente à unidade de saúde, na manhã desta sexta-feira, formou-se em decorrência do cadastramento para consultas de urologia, ofertadas pela unidade hospitalar, como parte da programação da campanha Novembro Azul, que iniciará no próximo mês. A ação é realizada anualmente pela instituição como forma de prevenção ao câncer de próstata.

A direção informa que foram abertas 150 vagas, mas, em função da grande demanda, o número foi ampliado para 220 e todos que compareceram à unidade para o cadastramento já foram atendidos. Sobre a paciente com câncer de estômago, a direção informa que ela deve se dirigir ao Ambulatório da Fundação, onde são atendidos os pacientes oncológicos.