Anúncio Advertisement

Fim do Governo Amazonino com secretarias esvaziadas

Após a derrota nas eleições e a menos de um mês para passar o Governo para o governador eleito Wilson Lima (PSC), Amazonino Mendes (PDT) tem amargado um governo esvaziado, com servidores que já abandonaram os postos e até mesmo secretários que sequer dão as caras nas Secretarias.

Alguns, como o então diretor da Superintendência Estadual de Habitação (Suhab), o vereador Diego Afonso, preferiu se despedir logo da Administração Pública e voltar para a Câmara Municipal de Manaus (CMM). No início do mês ele fez um culto ecumênico de despedida da Suhab e no dia 03 já estava de volta ao Legislativo para participar da votação para eleição da Mesa Diretora para o próximo biênio.

Outros preferem fazer o tal “recesso branco” – arrumar reuniões externas, agendas fora do Estado – tudo para sequer dar as caras nas Secretarias. O clima é, definitivamente, de despedida.

Nos corredores do Governo, servidores que ocupam cargos comissionados e que já sabem que não permanecerão no Executivo, nem aparecem mais nos postos de trabalho. Uns tiraram férias, outros simplesmente não tem ido mais.

Enquanto isso, há o grupo dos que se articulam para permanecer no novo Governo, se aproximando dos membros da Comissão de Transição de Wilson Lima – que estão cada vez mais próximos das Secretarias e que tem trânsito garantido em todas as pastas.

Mas, a partir de 1º de janeiro um novo ciclo se inicia e o governador eleito já terá um enorme desafio: como alocar tantos servidores em uma folha de pagamentos que está inchada e com risco iminente de ‘explodir’?