Finalmente Susam, FVS e TCE se dispõem a comparecer em uma audiência pública para tratar da demissão de agentes de endemias pelo Governo do professor

AUDIENCIA PUBLICA

AUDIENCIA 1Após ter sido cancelada no último dia 11 por causa da ausência de representantes da Fundação de Vigilância Sanitária (FVS), Secretaria de Estado da Saúde (Susam) e Tribunal de Contas do Estado (TCE) – diz que a justificava para a ausência foi por causa da comemoração do Dia do Advogado – foi confirmada para esta quarta-feira, dia 26, a audiência pública que vai tratar sobre o drama vivido por mais de 300 agentes de endemias do Estado do Amazonas, da antiga Sucam/Funasa (Fundação Nacional de Saúde) e que foram demitidos pelo Governo do Estado em junho deste ano.

A audiência está prevista para iniciar às 14h com as presenças confirmadas de representantes do TCE, Susam e da Câmara Municipal de Manaus, além dos agentes de vários municípios do Amazonas. Até o fim da tarde desta terça-feira a FVS não havia confirmado à Defensoria Pública do Amazonas, participação na audiência pública, de acordo com o Defensor, Carlos Almeida Filho.

Sem amparo, os agentes de endemias desligados receberam o apoio do Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Amazonas (Sindsep-AM). O secretário geral do Sindsep-AM, Walter Matos, explicou que muitos agentes desligados estão contaminados por produtos tóxicos devido ao trabalho de anos com produtos altamente tóxicos como é o caso do próprio DDT.

“Os trabalhadores da Sucam estão em uma briga judicial em nível nacional para serem indenizados porque ficaram doentes no manuseio desses inseticidas, obviamente que os trabalhadores da FVS também estão na mesma situação”.

AUDIENCIA 3Anderson de Oliveira Gonçalves, 37 anos, é um desses agentes detectados com grau elevado de contaminação por DDT. Ele trabalhou durante 12 anos na função e fez exame para verificar o grau de contaminação por produto químico em janeiro deste ano. Segundo laudo da própria FVS, Anderson detém 8.854,00 U/L de contaminação no sangue – de uma escala que vai de 4620 a 11.500 U/L para homens e 3930 a 10800 U/L para mulheres.

“É uma injustiça o que estão fazendo com a gente. Eles pegam esse pessoal que já está doente e jogam assim como se fosse um lixo. Suga, suga e depois joga fora, isso é revoltante”, desabafou Anderson.

Demissões

A demissão dos agentes de endemias é resultado do concurso público, realizado em 2008, promovido pela Susam e que deixou de fora mais de 300 servidores, com mais de 15 ou 20 anos de serviços prestados.

Walter Matos explicou que a dispensa dos chamados mata-mosquitos atinge 31 municípios do Amazonas e, de alguma forma, pode até prejudicar o trabalho de combate aos mosquitos, como o Aedes aegypti.