Fiscalização encontra carnes estragadas em supermercado de Manaus

Carnes estragadas e diversos alimentos impróprios para o consumo foram encontrados durante uma fiscalização da Comissão de Defesa do Consumidor (Comdec) da Câmara Municipal de Manaus (CMM). O foco da ação foram os serviços de “delivery” das grandes redes de supermercados e padarias, nas zonas Sul, Leste, Norte e Centro-Oeste da cidade.

O presidente da Comdec, vereador André Luiz (PL), afirma que o objetivo foi a verificação da qualidade dos serviços prestados ao consumidor.

“Principalmente, nesse momento de combate à Covid-19, no qual as regras de utilização de EPIs são fundamentais para manter a qualidade dos produtos, até chegar às mãos do consumidor. Infelizmente, constatamos que alguns estabelecimentos não têm o cuidado necessário”, afirmou.

Ao todo, oito estabelecimentos foram fiscalizados pela equipe da Comdec. Destes, quatro autuados por problemas com higiene, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e serviços de “delivery” de forma inadequada. Foi dado um prazo de 72h para os estabelecimentos prestarem esclarecimentos e fazer as adequações necessárias.

Impróprios para consumo

Entre as irregularidades, a equipe da Comdec também encontrou alimentos impróprios para o consumo, como por exemplo, carnes estragadas, em supermercados das zonas Centro -Oeste e Leste da cidade.

Na Avenida Djalma Batista, o estado de acondicionamento do produto era inadequado. “Ao fazermos uma aferição de temperatura, constatamos 11ºC, quando o ideal é 4 ºC. Não havia nem prazo de validade. Solicitamos o descarte completo do produto. Além disso, o carro utilizado para o serviço “delivery” estava em péssimas condições de higiene”, relatou André Luiz.

O caso mais crítico foi em um supermercado na Avenida Autaz Mirim, zona Leste. Enquanto os funcionários limpavam o freezer, a carne foi colocada no chão e a temperatura ambiente.

“Uma prática, inaceitável. O risco de uma contaminação do produto era visível. Além da falta de cuidados no manuseio de alimentos como o peixe”, afirmou o presidente da Comdec.

Funcionários sem máscaras, ausência de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) como álcool em gel e luvas, foram algumas irregularidades constatadas pela equipe da Comdec, colocando desta forma, em risco não somente fucionários, mas também os consumidores.

(*) Com informações da assessoria