Flamengo vence Emelec com drama nos pênaltis e avança na Libertadores

Com muito drama e tensão no Maracanã, o Flamengo conseguiu levar a decisão contra o Emelec (EQU) para os pênaltis nesta quarta (31), ao vencer no tempo normal por 2 a 0 – com dois de Gabigol – e, com eficiência nas cobranças e uma defesa do goleiro Diego Alves, levou a melhor na disputa (4 a 2) e garantiu a heroica classificação para as quartas de final da Copa Libertadores, onde enfrentará o Internacional, que eliminou o Nacional (URU).

Na partida em Guayaquil (EQU), o Rubro-negro perdeu por 2 a 0. O time, então, entrou em campo pressionado precisando vencer por três gols de diferença para se classificar ou ao menos por 2 a 0 para levar a decisão por pênaltis.

ARROYO TEM DESTINO CRUEL

Reponsável por fraturar o tornozelo direito do meia Diego no jogo de ida no Equador, o volante Arroyo teve um destino cruel no Maracanã ao ser o jogador a desperdiçar a cobrança de pênalti para o Emelec, que deu a classificação para o Flamengo.

O MELHOR: GABIGOL

Inspirado, Gabigol chegou aos 22 gols em 33 jogos na temporada pelo Flamengo. O atacante é o artilheiro do Brasil em 2019. Além dos tentos, foi intenso durante os 90 minutos e muito participativo, mas sentiu uma lesão na coxa direita e precisou ser substituído aos 25 do segundo tempo pelo jovem Reinier.

O PIOR: ARROYO

O volante Dixon Arroyo parece não ter aprendido no jogo de ida, quando com uma dura entrada, fraturou o tornozelo direito do meia Diego, que não tem previsão certa de retorno aos gramados. Na partida desta quarta, ele novamente fez uma falta com força excessiva, desta vez em Gérson, e foi punido com cartão amarelo. O Flamengo chegou a solicitar a suspensão do jogador à Conmebol, mas teve seu pedido negado.

EVÉRTON RIBEIRO NO SACRIFÍCIO

Com um edema ósseo no pé esquerdo, Éverton Ribeiro foi para o sacrifício na partida contra o Emelec e, embora tenha buscado o jogo, pareceu realmente não estar em plenas condições de jogo. O jogador, no entanto, não se furtou do duelo e das divididas, mas precisou ser substituído no início do segundo tempo por Arrascaeta, que também era dúvida.

REINIER ESTREIA NO PROFISSIONAL

Reinier, de apenas 17 anos, fez sua estreia no profissional do Flamengo ao substituir Gabigol, lesionado, aos 25 minutos do segundo tempo. O jovem tem uma multa rescisória estipulada em R$ 300 milhões e é visto como grande promessa do clube.

RAFINHA SOFRE PÊNALTI EM JOGADA INDIVIDUAL

Logo aos sete minutos do primeiro tempo, Rafinha recebeu uma bola em escanteio curto e deu um lindo drible em Bagüí na linha de fundo. O jogador do Emelec o obstruiu com o braço direito e o lateral caiu. Imediatamente, a arbitragem marcou pênalti para reclamação dos equatorianos. Após uma breve consulta aos auxiliares de VAR por áudio, Néstor Pitana confirmou a infração, convertida por Gabigol.

O JOGO DO FLA

O Flamengo teve tempos distintos no Maracanã. Se no primeiro tempo a equipe foi completamente avassaladora, com um show de Gabigol, podendo ter saído com um placar até maior que o 2 a 0, na etapa final deixou o nervosismo tomar conta, algo que também acabou passando para a arquibancada.

O JOGO DO EMELEC

O Emelec entrou com a proposta de se defender, mas pareceu estar muito assustado no primeiro tempo, sendo completamente envolvido pelo Flamengo e mal conseguindo trocar passes. No segundo tempo o time se acalmou e conseguiu sair um pouco mais para jogo.

ÁRBITRO TENTA AFASTAR A BOLA E ‘FURA’

Num lance pouco habitual, o árbitro Nestór Pitana foi afastar uma segunda bola que estava no gramado e acabou “furando” o chute.

TITE NA ÁREA

Técnico da seleção brasileira, Tite esteve presente assistindo a partida em um dos camarotes do Maracanã com o coordenador Juninho Paulista.

MOSAICO RUBRO-NEGRO

Na entrada das equipes em campo, a torcida do Flamengo abriu um mosaico no setor leste do Maracanã com a frase: “jogaremos juntos!”.

ACOMPANHANDO DE PERTO

Vitinho e Rodrigo Caio, lesionados, e Filipe Luís, não inscrito, estiveram no Maracanã e acompanharam de perto o time rubro-negro desde o momento do aquecimento no gramado.

TORCIDA FAZ ‘RUA DE FOGO’

Na chegada do ônibus que levou a delegação ao Maracanã, milhares de torcedores do Flamengo recepcionaram os jogadores com uma “rua de fogo” munidos de sinalizadores vermelhos e bandeiras na Avenida Radial Oeste, onde se situa o portão de acesso ao estádio. O veículo foi escoltado pela Polícia Militar, que abriu um corredor em meio a multidão, o que fez com que ele adentrasse o Maracanã sem maiores problemas.

CHEGADA DO FLA TEVE BEIJINHO DE GABIGOL

Na chegada do Flamengo ao Maracanã, o atacante Gabigol fez questão de parar no corredor e cumprimentar o massagista Adenir Silva com um beijo em sua mão direita e foi prontamente retribuído com o mesmo gesto.

FLAMENGO

Diego Alves; Rafinha, Thuler, Pablo Marí e Renê; Cuéllar, Willian Arão e Gérson (Berrío); e Éverton Ribeiro (Arrascaeta), Bruno Henrique e Gabigol (Reinier). Técnico: Jorge Jesus

EMELEC

Dreer; Caicedo, Jaime (Quintero), Mejía e Bagüí; Arroyo, Godoy (Cortez), Queiroz, Cabezas; Guerrero (Carabalí) e Angulo. Técnico: Ismael Rescalvo

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Néstor Pitana (ARG)
Assistentes: Hernán Maidana e Julio Fernández (ambos da Argentina)
Árbitro de vídeo: Mauro Vigliano (ARG)
Cartões amarelos: Bruno Henrique, Cuéllar, Willian Arão (FLA); Arroyo, Mejía, Quintero (EME)
Cartões vermelhos: Nenhum
Gols: Gabigol, aos 9 minutos do primeiro tempo; Gabigol, aos 18 minutos do primeiro tempo