Flávio Bolsonaro renuncia a cargo na Mesa Diretora do Senado

Foto: Beto Barata/Agencia Senado

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) renunciou ao cargo de terceiro-secretário da Mesa Diretora do Senado, que ocupava desde o começo da legislatura, em 2019. A decisão ocorre em meio às articulações para a eleição à presidência da Casa, que vai escolher, em fevereiro, o sucessor de Davi Alcolumbre (DEM-AP). Há dois anos, Flávio apoiou a eleição de Alcolumbre, mas agora ele se opõe ao nome escolhido pelo presidente do Senado para ser o próximo ocupante do cargo — o senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

A decisão do primogênito do presidente Jair Bolsonaro coincide com um movimento que tenta desgastar o nome de Pacheco. O chefe do Executivo tem avisado a parlamentares aliados que não apoiará a candidatura do senador mineiro.

Há um temor no Planalto de que Pacheco, tido como um parlamentar independente, não consiga manter a blindagem de Flávio no Conselho de Ética do Senado, onde ele é alvo de um pedido de cassação, apresentado por partidos de oposição. O motivo do pedido é o envolvimento de Flávio em um esquema de rachadinha quando ele cumpria mandato na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Sob a presidência de Alcolumbre, um aliado do governo, o caso não avançou.

Atuação considerada rígida
Pesa também contra Pacheco a atuação que ele teve quando era presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ), em 2017. Considerada rígida, ela desagradou articuladores políticos próximos ao presidente Bolsonaro.

Flávio Bolsonaro encaminhou ofício pedindo desligamento da Mesa do Senado em 11 de dezembro. Sem explicitar os motivos da decisão, ele apenas comunicou a renúncia.

“Venho à presença de Vossa Excelência, como integrante da Mesa Diretora dessa Casa, para apresentar a minha renúncia ao cargo de terceiro-secretário, a partir de 14 de dezembro de 2020”.

Na semana passada, o presidente nacional do DEM, o prefeito de Salvador ACM Neto, confirmou que Pacheco seria o escolhido para concorrer à sucessão de Alcolumbre. Em troca, o partido tem apoiado o nome do deputado Baleia Rossi (MDB) na disputa pela presidência da Câmara.