Abrasel pede ao Governo flexibilização do horário do setor comercial de bens e serviços no AM

Foto: Reprodução

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e entidades e federações do Amazonas entregaram, nessa segunda-feira (10), uma carta conjunta ao Governo pedindo a flexibilização do setor comercial de bens, produtos e serviços. O documento contou com a assinatura de entidades e federações do Amazonas e foi protocolada com o objetivo de pedir uma flexibilização no horário de funcionamento e aumento da capacidade de pessoas nos estabelecimentos comerciais no Estado a partir de 15 deste mês de agosto, com vistas a garantir a manutenção das atividades empresariais no nosso Estado.

“Este documento é de grande importância para as associações, pois estamos acompanhando que os casos da Covi-19 e estão positivos em relação ao número de óbitos e leitos disponíveis e por isso solicitamos que aja uma flexibilização para que os bares, restaurantes e até mesmo aqueles que trabalham com alimentação fora do lar, possam normalizar o funcionamento de seus empreendimentos, pois até o momento estamos seguindo o protocolo de reabertura da FVS”, afirmou o presidente da Abrasel no Amazonas, Fábio Cunha.

Desde o último dia 06 de julho, o setor está funcionando até a meia-noite com a capacidade de público reduzida em 50%. Os estabelecimentos devem seguir os protocolos de segurança sugeridos pelos órgãos de saúde.

Assinam a carta os representantes da Associação de Entretenimento do Estado do Amazonas (ASSEEAM); Associação Comercial do Amazonas (ACA); Associação dos Empresários do Vieiralves (AEV); Federação do Comércio do Estado do Amazonas (FECOMÉRCIO);  Federação das Câmaras de Lojistas do Amazonas (FCDL/AM), além das Câmaras dos Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL Manaus) e Câmara dos Dirigentes Lojistas Jovens (CDL Jovem Manaus).

Representantes das associações foram recebidos pelo secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SEDECTI) Jório de Albuquerque Veiga Filho e chegaram a discutir a flexibilização do horário de funcionamento e o aumento da capacidade de público em bares e restaurantes e estabelecimentos do comércio em geral. O documento deve ser encaminhado ao gabinete do governador, onde as propostas devem ser analisadas nos próximos dias.

(*) Informações da assessoria