‘Foi podre’; atrações do Passo a Paço 2022 não empolgam e viram alvo de críticas nas redes sociais

Artistas criticam o ativismo religioso do prefeito, que selecionou músicos do segmento que ele professa

passo a paço atrações

Foto: Divulgação/Semcom

A Prefeitura de Manaus anunciou, nesta quinta-feira (21), a programação completa do #SouManaus Passo a Paço 2022 durante entrevista coletiva e, conforme o line-up do evento, terá artistas da música pop, rock, samba e até gospel.

O evento acontecerá de 3 a 6 de setembro e terá participação de artistas locais e nacionais, entre eles, Duda Beat, Joelma, Felipe Araújo, Diogo Nogueira, André Valadão, Leandro Borges e Bruna Karla.

Contudo, as atrações anunciadas pela prefeitura não foram bem aceitas pelo público. Nas redes sociais, foram feitos diversos memes com as atrações do evento e muitos internautas disseram que o evento foi bom até 2019.

Foto: Reprodução/Twitter

Além disso, houve críticas a presença da cantora gospel Bruna Karla, que em junho deste ano, causou polêmica após dizer que recusou em cantar no casamento de um amigo porque ele é homossexual.

“Repudio veementemente a presença da Bruna Karla no Passo a Paço. Nós LGBTQIA+ lutamos pra sobreviver todos os dias no Brasil. Meu IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano)? Não quero fomentar ódio. E eu, como artista, não tenho medo das represálias que posso encarar como participante de editais”, criticou a jornalista Maria Luiza Dacio.

Estado laico

Com a participação de André Valadão e Bruna Karla, foi levantada discussão sobre a participação de artistas de outras religiões no evento. A cantora Lucilene Castro questionou nas redes sociais se realmente o estado é laico e sentiu falta de outras atrações musicais.

Foto: Reprodução/Facebook

Durante entrevista ao Radar Amazônico, ela disse que todos os artistas devem ser privilegiados, independente da religião.

“A partir do momento que você abre a inserção de artistas de cunho religioso, acredito que tem que levar em conta as outras religiões também. Por que só priorizar a religião evangélica pelo simples gosto ou credo do gestor? Isso não se justifica. Acho que quando você administra uma cidade, você administra por um todo. Eu acredito que todos devem ser privilegiados independente da sua religião porque todos pagam seus impostos e todo mundo deve ser contemplado”, disse ela.

A cantora e ativista Wendy Dias também criticou a participação dos cantores André Valadão e Bruna Karla no evento.

“A Manauscult erra na mão colocando no lugar de artistas populares, independentes e de renome da cena amazonense, para colocar atrações religiosas. Essas pessoas já têm os templos deles para isso. A partir do momento em que se mistura cultura popular com religião, deve-se, sim, incluir artistas de outras religiões, se não fere a Constituição Federal”, reforçou.

Guns N’ Roses

Não é a primeira vez que o #SouManaus Passo a Paço 2022 é alvo de críticas pelo público. Em abril deste ano, o prefeito David Almeida (Avante) revelou que pretendia trazer a banda de rock Guns N’ Roses como atração internacional do evento. Além disso, ele publicou uma foto com a empresária Beth Dezembro, proprietária da Fábrica de Eventos, dizendo: “conversando sobre um mega show para Manaus, aguardem!” e usou a hashtag “Welcome to the jungle” na legenda da foto, referindo-se a uma música da banda com esse mesmo nome.

Entretanto, as publicações feitas por David Almeida só serviram para frustrar os fãs da banda, que pensavam em ir ao show do Guns N’ Roses de graça. Nas redes sociais, os internautas mostraram toda a sua frustração, acreditando que foram ludibriados por mais um “golpe de marketing” do prefeito midiático de Manaus.

Foto: Reprodução

O show da banda Guns N’ Roses foi anunciado pela Fábrica de Eventos e será realizado no dia 1° de setembro, na Arena da Amazônia. Os ingressos para quem deseja ver de perto Axl Rose, Slash e companhia chegam a custar até R$ 1,5 mil.