Foragido, Zé Trovão diz que não cogita voltar ao Brasil para ser preso

O caminhoneiro foragido Marcos Gomes, conhecido como Zé Trovão, está foragido no México há um mês

ze trovao foragido

Foto: Divulgação

Há um mês foragido no México, o caminhoneiro foragido Marcos Gomes, conhecido como Zé Trovão, afirmou que não aceita ser preso no Brasil e negou que vai recuar dos ataques que fez ao STF e ao Senado. Responsável pelo início de um “levante” contra a democracia.

Segundo a Procuradoria-Geral da República (PGR), Zé Trovão mora na casa de um amigo e espera dirigir um caminhão na Cidade do México.

Em entrevista à coluna nesta segunda-feira (11/10), Trovão cogitou não retornar jamais ao Brasil: “Se me falarem: ‘Você só volta para o Brasil se fizer uma carta pedindo perdão para o ministro Moraes’, então vou passar o resto da minha vida fora do Brasil. Eu posso pagar um alto preço, mas não retiro o que disse. Voltar ao Brasil para ser preso está fora de cogitação”.

Questionado sobre a carta em que Jair Bolsonaro recuou dos ataques ao Supremo no 7 de Setembro, o caminhoneiro desconversou e defendeu que no gesto existe um acordo — que ainda não chegou para ele no México.