Funcionário que tirou foto de Maradona no caixão se entrega; imagens contradizem funerária

Foto: Reprodução/Twitter

Funcionários da funerária responsável pelo velório de Diego Maradona foram demitidos por tirar foto com o corpo do astro argentino, na última quinta-feira. O último deles se apresentou à polícia com seu advogado neste sábado. Diego Molina, que estava foragido, foi liberado após coleta de dados na delegacia.

Na foto que viralizou na internet, ele aparece debruçado sobre o corpo de Maradona, olhando para a câmera, com o polegar da mão esquerda para cima enquanto com a direita toca a testa do ex-jogador. Alguns minutos depois da divulgação das fotos, surgiram informações sobre o paradeiro de Molina. Circularam também ameaças e mensagens afirmando que “La 12” (torcida organizada do Boca Juniors) iria se vingar.

Contradição da funerária

A imagem de Diego Molina não foi a única a surgir na internet de um funcionário da funerária responsável pelo enterro de Diego Maradona. Claudio Fernández foi outro empregado demitido por tirar foto, junto de seu filho, com o caixão do ex-jogador argentino.

As fotos distintas desmentem a versão da funerária de que uma foto teria sido tirada em questão de segundos, por funcionários terceirizados, que estavam apenas levando o caixão para a capela.

– Foram dois segundos. Não são empregados nossos. Só iam levar os materiais para a capela. Nem sequer montaram o caixão. Este trabalho fizemos com meus irmãos. Mas como eram muitos objetos e pesados, contratamos estas pessoas para levar os materiais em outro veículo e não causar danos ao caixão – disse um dos donos da funerária ao jornal La Nación, da Argentina.