Funkeiro MC G15, do hit ‘Deu Onda’, abandona letras com duplo sentido e fará funk infantil

O ano era 2016. Praticamente todas as rádios tocavam a música “Deu Onda”, do funkeiro carioca MC G15. Nas ruas, na internet, ela estava em todo lugar. No Carnaval do ano seguinte, a canção foi febre em diversos trios elétricos e foi eleita a principal dentre as que estavam na boca do público. O dono do hit começava a despontar na TV, principalmente na Globo, com uma versão adaptada para o refrão que continha palavrão: “Que vontade de te ter, garota, eu gosto de você, fazer o que, o pai te ama”.

Embora Gabriel Paixão Soares, o G15, hoje com 20 anos, tenha subido ao estrelato na ocasião com a música e o clipe, que beira as 400 milhões de visitas no YouTube, agora ele diz ser uma nova pessoa e decide abandonar as letras de funk com duplo sentido e palavrão. Mais do que isso, a tarefa a partir de 2019 é inovar e atingir um novo público: a criançada.

“Cantava uma música mais poluída. De uns tempos para cá eu mudei e resolvi fazer algumas sem duplo sentido, sem palavrão, mais dançantes. Vamos fazer um trabalho para crianças agora. Isso vai acontecer. Será funk com assunto de criança. Quero me arriscar”, aponta G15.

Para ele, por mais que seja uma empreitada difícil, o momento é de se jogar. “Dando certo ou não, para mim, será positivo. Tenho muitas crianças na família para me inspirar, inclusive uma filha de dois anos. Tenho um público infantil grande e criei responsabilidade a mais”, define.

O novo trabalho deve sair ainda este ano. Porém, enquanto isso não ocorre, o público já pode ir conhecendo o “novo” G15. Em canções como “Era Uma Vez”, com participação de Belo, e “Menor Periferia”, com o MC Magal, ele já demonstra um novo olhar sobre o seu trabalho.

“Procuro fazer um funk mais melódico, comercial e dançante, alegre. Já tenho gravado mistura de funk com sertanejo, com axé em parceria com Léo Santana. Uma mistura total”, diz.

O músico é de Duque de Caxias, na baixada fluminense, e teve o primeiro contato com o ritmo na adolescência. Baterista, ele já se encantava por aquele universo musical. E foi com o funk proibidão e mais enraizado que ele teve sua primeira experiência. Desse fato surgiram as influências para ele começar, aos 15 anos, a fazer os bailes pelo estado. G15 chegava a cantar em 40 shows por mês.

Após a explosão de “Deu Onda”, o artista foi lançando outros trabalhos e foi à Europa três vezes para turnês. Agora com essa mudança de postura ele sonha em voltar à TV. E também projeta um DVD para os próximos meses com as músicas novas. De acordo com o rapaz, já há de 12 a 15 melodias engatilhadas e sendo lançadas nas mídias sociais aos poucos.

“Eu acredito muito em mim. Quero surpreender, mostrar minha musicalidade, um som mais evoluído”, finaliza.