Futebol masculino estreia nesta quinta (04) em busca ouro inédito

Estreia futebol masculino capa

Após o fiasco na Copa do Mundo de 2014, o futebol brasileiro buscará se reerguer nos Jogos Olímpicos do Rio-2016. Novamente em casa, a seleção masculina lutará por seu primeiro ouro após treze tentativas.

Em campo estarão 15 jovens de até 23 anos, reforçados com três jogadores experientes e um treinador com tradição na formação de atletas. Juntos, eles tentarão o apoio da torcida brasileira para retomar o caminho de vitórias. O primeiro desafio será nesta quinta-feira (4), às 16h, no Estádio Mané Garrincha em Brasília, contra a África do Sul.

Esta é a única grande conquista do futebol masculino que ainda falta para o país anfitrião dos Jogos Olímpicos, o ouro é uma obsessão para jogadores e fãs da seleção.

Estréia será quinta-feira no Estádio Mané Garrincha em Brasília, contra a África do Sul.Ricardo Stuckert/CBF

Rogério Micale assumiu a seleção olímpica com a queda de Dunga, em junho deste ano. O baiano chegou em 2015 à CBF com a missão de comandar a seleção Sub-20. Desconhecido do grande público, Micale é treinador desde 1999, passando pela divisão de base de diversas equipes. No Atlético Mineiro, o técnico comandou o time júnior por sete anos. Ele ainda teve uma pequena experiência no profissional, quando comandou brevemente o Figueirense e o Grêmio Prudente.

Na coletiva de imprensa desta quarta-feira (3), Micale brincou que o mais desconhecido da seleção é o próprio treinador. Ele considera que o grupo é formado por jovens promissores, que vem despontando em suas equipes no Brasil e no exterior.

“O que o nosso torcedor pode esperar é uma equipe com mutia qualidade, porque eu acredito muito no nosso jogador e acredito no futebol brasileiro. Vivemos em um momento difícil, mas não perdemos o nosso talento, ele ainda existe”, declarou o treinador.

Para enfrentar este desafio, Rogério Micale pode convocar três atletas mais experientes, acima  de 23 anos (idade limite para o restante da equipe). Um deles é Neymar, com 24 anos, o craque do Barcelona e o principal ídolo da seleção principal, terá o papel de comandar o ataque brasileiro. Ele contará com a companhia de Renato Augusto, 28 anos, meia do Beijing Guoan da China, e do goleiro Weverton, também com 28, do Atlético Paranaense, que substitui Fernando Prass, contundido nos últimos dias.

Entre os Sub-23, 12 jogadores atuam no Brasil e apenas três no exterior, sendo a grande maioria titular em seus clubes. Um ataque promissor contará com Gabriel, o Gabigol do Santos, Gabriel Jesus, artilheiro do Brasileirão pelo Palmeiras, e Luan, destaque do Grêmio. Já a defesa terá Marquinhos, do PSV da França, Rodrigo Caio, do São Paulo, e Luan Garcia, do Vasco da Gama.

O meio campo contará com Rafinha, filho do ex-jogador Mazinho, tetracampeão em 1994, e jogador do Barcelona. Os rivais gaúchos, Walace e Rodrigo Dourado, do Grêmio e do Internacional, respectivamente, também estarão juntos pelo país. Thiago Maia, do Santos, e Felipe Anderson, da Lazio, completam o setor.

Douglas Santos, do Atlético Mineiro, e Zeca, do Santos, disputam a vaga na lateral esquerda. Pela direita, Willian, do Internacional será a única opção. Para completar, Uilson, terceiro goleiro do Atlético Mineiro, que jogou no último amistoso da equipe contra o Japão, deve ser o suplente no gol.

Rogério Micale espera o apoio da torcida para o time entrar com ainda mais força nos Jogos Olímpicos.  “O torcedor pode esperar uma equipe determinada, uma equipe querendo demonstrar um grande futebol e tentar um objetivo maior, que é o que todos sonhamos, que é a medalha de ouro”, afirma. Com informações da Agência Brasil.

Fonte: Notícias ao Minuto