FVS-AM alerta sobre risco de terceira onda e Governo do AM afrouxa isolamento social

Na mesma live em que o diretor da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) Cristiano Fernandes, fez um alerta sobre o risco de uma terceira onda de Covid-19, o governador também anunciou a flexibilização nas restrição à circulação de pessoas no Estado. O decreto valerá a partir de segunda-feira (5) e amplia o funcionamento de bares e restaurantes de 06h às 23h, de segunda a sábado, e 7h às 16h aos domingos.

O diretor da FVS-AM exibiu um gráfico intitulado “Risco de terceira onda?” e alertou ainda que “Se não mantivermos a adoção de prevenção e controle, seguramente teremos uma nova alça epidêmica e a consequência serão novas tragédias que poderão assolar nossas famílias”, disse Cristiano.

Enquanto isso, o novo decreto permitirá o funcionamento de balneários, parques aquáticos e clubes recreativos das 7h às 16h, e flutuantes, das 09h às 16h, de segunda a domingo. Além de permitir também o retorno presencial das instituições privadas do ensino médio e de cursos livres, como escolas de idiomas. Também será autorizado o funcionamento do Colégio Militar de Manaus (CMM), administrado pelo Exército.

Os estabelecimentos autorizados a funcionar deverão respeitar o limite de ocupação de 50% da capacidade dos espaços, além das medidas de distanciamento, uso de máscara e higienização das mãos.

Contrariando as próprias medidas, o governador deixa explícito a preocupação com a abertura dos estabelecimentos e a maneira como as pessoas irão se comportar nas próximas semanas. Em sua fala durante o pronunciamento, o governador cita até mesmo algumas aglomerações que ocorreram recentemente, ou seja, ele está ciente que mesmo antes de flexibilizar as medidas, o respeito anda na contramão das medidas de segurança.

”Ainda há uma preocupação com a possibilidade de uma terceira onda, como tem acontecido na Europa. Todas às vezes que agrava lá, agrava aqui, e nós temos sido referência pro restante do Brasil. Estamos fazendo ajustes no decreto, flexibilizando e ampliando os horários, e isso me causa uma preocupação, mas entendo a necessidade de alguns segmentos ampliarem as suas atividades. Mas o que a gente percebe nas redes sociais, são pessoas fazendo festinha, aglomerando, copo de bebida passando de boca em boca, correndo um risco muito grande de transmitir o vírus. Se uma pessoa dessa estiver contaminada, ela vai contaminar todo mundo ali.”

Vale destacar que, a polícia militar do Estado, recebeu no último final de semana, cerca de 800 denúncias sobre aglomerações, segundo o coordenador do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), coronel Hermes Macêdo.

E a situação pode se tornar mais  grave nesta provável terceira onda considerando que o Amazonas está proibido de realizar a compra do “Kit intubação” devido à escassez do medicamento no país.