Garantido abre o Festival de Parintins em defesa dos povos indígenas e da diversidade

Os itens femininos foram os grandes destaques da apresentação do Garantido na arena

Foto: Aguiar Abecassis

O Boi Garantido abriu a primeira noite do 55° Festival de Parintins, realizado com a galera vermelha e branca ao delírio e celebrando a diversidade dos povos indígenas.

O apresentador Israel Paulain iniciou a tradicional contagem do boi vermelho e branco, que ocorre desde a década de 1970, lembrando as vítimas da Covid-19, entre elas, Paulinho Farinha, um dos ícones do Festival, e que defendeu o item apresentador antes de Israel.

Israel Paulain— Foto: Aguiar Abecassis

Além da defesa da Amazônia, o Garantido também levantou a bandeira do empoderamento da mulher levando, pela primeira vez, tuxauas mulheres para a arena do Bumbódromo e defendeu que elas estejam aonde quiserem.

Os itens femininos tiveram grande destaque nas apresentações, principalmente a sinhazinha Valentina Coimbra, a cunhã Isabelle Nogueira e a rainha Edilene Tavares.

Foto: Aguiar Abecassis

O pajé Adriano Paketá fez uma aparição apoteótica após o ritual indígena.

Foto: Aguiar Abecassis