Gay e drag queen, sobrinho de Silas Malafaia cria conta no OnlyFans

© Reprodução / Instagram

Lucas Santos, filho da cantora gospel Eyshila e sobrinho do pastor Silas Malafaia, criou uma conta na plataforma de conteúdo adulto OnlyFans. Por meio das redes sociais, Lucas compartilhou o link do perfil no site, onde cobra US$ 10,99 por inscrição mensal (cerca de R$ 62,60, na cotação atual).

Com o nome apenas de “LOS”, o jovem promete “mais publicações em breve”. As inscrições também têm valores de R$ 169 por três meses e R$ 320 por seis.

Segundo informações do perfil, a página já possui duas imagens disponíveis, que estão visíveis apenas para os assinantes.

No Instagram, onde acumula mais de 170 mil seguidores, Lucas compartilha fotos vestido de drag queen. Atualmente ele mora nos Estados Unidos. Lucas é filho de Eyshila com Odilon Santos, que é irmão da mulher de Silas Malafaia, Elizete Malafaia. Odilon e Silas trabalham juntos na Advec de Santo André (Assembleia de Deus Vitória em Cristo). Os dois ocupam os cargos de pastor dirigente e presidente, respectivamente.

Além de Lucas, Eyshila e Odilon também são pais de Matheus, que morreu aos 17 anos em 2015 devido ao agravamento de uma meningite viral.

Recentemente, Eyshila compartilhou uma foto de Lucas nas redes sociais ao lado de uma mensagem de fé. “Que Deus mantenha a sua integridade física e mental para viver o propósito que Ele tem para a sua vida. O mundo cansa, o pecado desgasta e as vezes até deixa sequelas . Mas eu oro para que Deus te guarde e te mantenha em um lugar seguro até que seus olhos se abram e você enxergue a grandeza do que Deus tem pra você!”, escreveu ela.

“Eu vivo pela fé, não pelo que vejo. Se o inimigo coloca minha derrota no outdoor, eu uso o mesmo outdoor pra declarar a minha vitória. Quem me justifica é Jesus. O justo viverá pela fé…”, finalizou.

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo em abril do ano passado, Lucas afirmou que teve conflitos com a família ao assumir a sexualidade, mas que tem o respeito da mãe. “Eu me sinto privilegiado por ter sido criado por uma pessoa tão criativa e apaixonada por música. Sempre admirei minha mãe por ser uma artista dedicada e talentosa”, disse ele. “Mas nós tivemos conflitos, sim, quando comecei a expressar minha sexualidade.”

“Não diria que ela me apoia, mas me respeita. Ela não acha correto existir um relacionamento amoroso entre pessoas do mesmo sexo. É algo que já conversamos e brigamos muito sobre.

O que percebemos no final das contas é que em vez de nos desgastarmos tentando mudar a cabeça um do outro, só deveríamos nos respeitar, se quiséssemos seguir num relacionamento saudável. Cada um com sua opinião”, afirmou.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de Eyshila, mas não obteve retorno até a publicação.