Geração de energia, mobilidade urbana e ZFM, foram alguns dos assuntos em pauta de encontro entre Braga e empresários

Braga e empresários

A convite dos associados da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus (CDLM), o senador Eduardo Braga participou, nesta segunda-feira (16) de um almoço na entidade destinado a esclarecer os empresários do ramo do comércio sobre questões como geração e distribuição de energia, Internet, prorrogação da Zona Franca de Manaus e perspectivas econômicas para o Amazonas e para o Brasil, entre outros temas importantes para o comércio local.

Segundo o presidente da CDLM, Ralph Assayag, microempresários e empresários de médio e grande porte estavam presentes ao encontro para ouvir o senador e ser ouvido por ele. “Queremos entender um pouco mais do que está acontecendo. Principalmente no setor energético, com o Linhão de Tucuruí. Queremos saber também sobre Internet. A fibra ótica é muito importante para o comércio”, disse Assayag.

A CDLM tem quatro mil associados ativos, que geram 95 mil empregos em Manaus. Ao todo, o comércio emprega 375 mil pessoas na cidade. Para se ter uma ideia da importância do setor, 55% da arrecadação do ICMS no Estado são provenientes do comércio.

O senador Eduardo Braga iniciou o encontro falando sobre a prorrogação da Zona Franca de Manaus. “Antes de falar sobre energia elétrica, queria falar um pouco sobre o quadro geral e a prorrogação da Zona Franca de Manaus”, disse, ao esclarecer que com a vigência prevista até 2023, a ZFM chegaria aos 57 anos. “Prorrogando por mais 50 anos, estamos dobrado o prazo de existência desse modelo. Não conheço no mundo nenhum modelo de zona franca que tenha cem anos de idade”, completou.

Braga alertou os empresários sobre a necessidade de se pensar em alternativas à ZFM ao longo desses 50 anos. “Qual alternativa criamos ao modelo ZFM? Se não criarmos modelos e alternativas, vamos repetir o que aconteceu lá atrás, quando não tínhamos alternativa ao ciclo da borracha”, alertou.

ENERGIA

Em seguida, o senador Eduardo Braga apresentou aos empresários um painel sobre geração e distribuição de energia, no qual o gás natural e, principalmente, o Linhão de Tucuruí foram mostrados como a solução para a questão da energia na cidade. “Dentro dos próximos 20 anos, seremos o principal hub de energia do País. Está em construção um sistema robusto para Manaus, cidade responsável por 4% do PIB industrial brasileiro”, garantiu.

Mobilidade urbana também entrou na pauta da conversa do senador com os empresários. Braga questionou qual seria a alternativa ao monotrilho, que acabou não sendo construído. “Qual foi a alternativa que apresentaram? VRT, BRT? Não fui eu quem escolheu o monotrilho. Foi um estudo de duas das principais empresas do mundo nessa área de pesquisa. Segundo o estudo, o monotrilho seria a melhor solução para Manaus”, disse.

Indústria petroquímica e biotecnologia também foram apontados pelo senador Eduardo Braga como prováveis alternativas econômicas para o Amazonas. “Temos que ficar atentos para o mercado de nossos produtos biotecnológicos.Temos que vender para quem vai consumir biotecnologia. O foco vai ser na utilização racional dos recursos naturais renováveis e não renováveis”, previu o senador.