Gestor acusado de abusar sexualmente de meninos em Coari é visto andando livremente pela cidade e estaria sendo protegido

dira

Em resposta a informação que está em uma das matérias do Radar sobre o gestor da Escola Estadual Prefeito Alexandre Montoril, Joaci Castro, de que ele teria sumido de Coari após começarem a ser feitas as primeiras denúncias ao Conselho Tutelar, no dia 11 de abril, sobre aliciamento e abuso sexual de meninos de 12 a 15 anos dentro da própria instituição de ensino, funcionários da escola procuraram o repórter-Radar em Coari para denunciar que seria mentira da coordenação Regional da Seduc  informar que não sabia o paradeiro do gestor. “A coordenadora de Educação da Seduc, Marilene Andrade sabe muito bem que o gestor, mesmo após as denúncias, foi à escola onde avisou aos funcionários que estava de férias e ia visitar parentes no Estado do Pará”, comenta uma das funcionárias com o repórter Radar. Segundo as funcionárias da escola, apesar do gestor ser “muito amigo da coordenadora”, ela teria dito à polícia que não sabia como encontrá-lo.

Junto com o inquérito administrativo aberto na Coordenação Regional da Seduc, o Conselho Tutelar também registrou Boletim de Ocorrência na Delegacia de Coari. Pelo que se tem conhecimento, a única providência tomada pela polícia até agora foi ir à escola atrás de Joaci Castro, onde ele não foi encontrado, como era de se esperar. Ele ainda não foi intimado a prestar depoimento no inquérito policial. As denúncias também foram levadas pelo Conselho Tutelar ao conhecimento do Ministério Publico em Coari, onde o promotor Felipe da Cunha Fish chegou a dizer que faria o pedido de prisão preventiva de Joaci Castro, mas isso também não aconteceu.

Enquanto isso, Joaci Castro foi visto, nesta sexta-feira (25) andando despreocupadamente pela cidade, e saindo do escritório do advogado Luiz Chã, bem ao lado da Prefeitura de Coari. (Any Margareth)