Anúncio Advertisement

Governador anuncia aumento de salário para secretários porque eles ganham só R$ 13 mil (ver vídeo)

Anunciando que vai aumentar os salários dos secretários de Estado, o governador Amazonino Mendes (PDT), declarou que não pretende deixar uma secretaria que arrecada bilhões nas mãos de alguém que ganha “apenas” R$ 13 mil”. A declaração foi dada por ele em entrevista coletiva concedida nessa quinta-feira (1º), após a solenidade da Abertura do Ano Legislativo na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

“O que eu posso cobrar deles? Não posso entregar bilhões de uma secretaria de Educação nas mãos de quem ganha R$ 13 mil. O Estado é como uma empresa qualquer. Imagina uma empresa não pagando o gerente. Pagando uma porcaria para o gerente. Quer o quê? Quer ser roubado. Podem falar o que quiser. Eu vou melhorar a remuneração salarial dos secretários porque eu quero trabalho”, disse.

Mendes também afirmou que pretende fazer uma reforma administrativa, enxugando a máquina pública e unificando o Governo. “Vamos integrar o Governo. Enxugar mais ainda pois não quero que isso seja uma Torre de Babel Acho que a estrutura está grande demais. E também temos que reordenar os objetivos”, afirmou.

Ainda na coletiva Amazonino afirmou, juntamente com o secretário de Saúde, Francisco Deodato, que os concursados da Susam de 2014, seriam convocados nessa quinta-feira (1º).

Apesar de iniciar a entrevista sustentando a afirmação de que o Estado não tem dinheiro, Amazonino prometeu pagar imediatamente a data-base de 2015 para todos os servidores estaduais e garantiu que o Estado vai voltar a pagar o ticket alimentação para os servidores da saúde que atuam em regime de oito horas diárias.

O governador foi questionado pelo Radar sobre o fato do Instituto de Medicina Estudos e Desenvolvimento (Imed) ter recebido do Governo, no ano passado, R$ 67,2 milhões para administrar o hospital Delphina Aziz, mas mesmo com os valores tão altos o corpo clinico foi reduzido e todos os cirurgiões foram dispensados.

Amazonino disse que esse é um problema recorrente em todo o estado e não só em Manaus, dando a entender que está resolvendo os problemas da saúde pública, usando a costumeira frase de que está “arrumando a casa”. O secretario estadual de Saúde, Francisco Deodato, enfileirado ao lado de Amazonino junto com outros secretários, interferiu na resposta do governador garantindo que a ausência de cirurgiões no Delphina Aziz já foi resolvida.

Fotos: Erik Oliveira