Governador manda punir policiais que não apoiam Robson Tiradentes em Coari

Alguns policiais que se recusaram a apoiar o candidato do governador, foram transferidos para Manaus

Foto: reprodução

O governador Wilson Lima (PSC) mostrou mais uma vez que está usando as forças do Estado para continuar apoiando seu candidato à Prefeitura de Coari (município distante 363 km de Manaus). Desta vez, Lima determinou a punição de qualquer policial que não esteja alinhado aos abusos cometidos na cidade em favor da candidatura de seu aliado, Robson Tiradentes (PSC).

Os policiais militares William Mendonça de Souza e Rone Enderson Cavalcante de Freitas estão sendo obrigados a se afastar da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social, onde exerciam os cargos de secretário e sub-secretário. Um será transferido para um presídio e o outro transferido para outro município.

Não bastasse isto, a crueldade dos abusos também alcançou a 1º Sargento Francisca Regia Maia Alfaia, que é mãe e possui família no município e que está sendo transferida para Manaus. Conforme colegas da Sargento ela tem se recusado a usar sua autoridade policial contra os coarienses.

Parte do efetivo destacado até Coari, também já foi retirado do município. E o motivo foi terem intervido na depredação que cabos eleitorais de Robson Tiradentes realizaram na casa do ex-prefeito Adail Pinheiro (Progressistas).

Os oficiais realizavam ronda pela cidade quando perceberam a aglomeração na residência de Adail e a tentativa de arrombar o portão. Por terem impedido que o grupo invadisse a residência, todos os policiais que agiram no cumprimento do dever foram penalizados.

Policiais desrespeitados em Coari

As condições de trabalho dos policiais enviados para Coari é deplorável. Obrigados a se hospedar em uma escola estadual, em meio aos alunos, chegam a usar mesas para não deitar no chão.

“Estamos aqui para realizar um sonho maluco do comandante Norte. E quem tá pagando por isso somos nós”, disse um dos policiais que não quis se identificar temendo mais represálias.

confira documento