Governistas querem cassar José Ricardo por quebra de decoro; corregedor Nicolau diz que vai investigar

Davi e Nicolau

O deputado petista José Ricardo Wendling pode vir a ser cassado por quebra de decoro parlamentar. O líder do Governo na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), deputado Davi Almeida (PSD) acusou, nesta terça-feira (02), em discurso feito na tribuna da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), o deputado José Ricardo Wendling (PT) de estar por trás do protesto feito por Hinaldo Conceição que jogou notas de dinheiro falso no governador José Melo, durante coletiva de imprensa, antes da leitura da Mensagem Governamental que aconteceu ontem, segunda-feira (02).

Davi Almeida insiste que Hinaldo foi orientado por assessores do deputado petista e que José Ricardo sabia de tudo. Ele afirma que o dinheiro xerocopiado e jogado no governador foi impresso dentro do gabinete de José Ricardo.

Diante das acusações do líder do Governo, o corregedor da Assembleia Legislativa, o deputado Ricardo Nicolau (PSD) se apressou em anunciar a abertura de um processo investigativo através da Corregedoria da Casa e disse que vai solicitar a abertura de um inquérito policial para apurar os fatos.

Na opinião de Nicolau, mesmo as cédulas de dinheiro jogadas no governador tendo sido impressas em preto e branco e estando modificadas com a imagem do governador, o ato cometido por Hinaldo poderia se enquadrar juridicamente como falsificação de moeda. Além de que, para o corregedor, a atitude de jogar as notas de dinheiro no governador se caracterizaria como lesão corporal – diante de manifestações que não existem nas Leis será que dá para os doutos procuradores da Casa socorrerem o parlamentar?

Negação e apoio

O deputado José Ricardo nega qualquer envolvimento no ato de protesto praticado por HInaldo Conceição, mas disse que apoia qualquer manifestação pacífica. Ele refutou as acusações feitas pelo líder do Governo de ter montando uma “farsa” contra o governador.

“Eles querem mudar o foco da situação. Na minha visão foi um protesto da juventude em relação a situação do Estado, saúde e educação precárias, não tem ações para os jovens não tem nada, violência crescendo. Inclusive parabenizei hoje, em plenário, as manifestações populares. Ninguém aqui está querendo agredir o governador porque esse não é o nosso foco. Mas também não podemos aceitar que um jovem que faz uma manifestação que não tem o caráter de atingir fisicamente, mas um protesto jogando papel para o ar, seja agredido dentro da Assembleia e ficar em cárcere como foi a situação dele. E só por isso teve a minha intervenção, assim como de Luiz Castro, de Alessandra Campêlo e de outras pessoas”, explicou José Ricardo.

Em resposta ao anúncio feito pelo corregedor da Casa, deputado Ricardo Nicolau, de que vai investigar seu envolvimento no episódio, José Ricardo rebateu. “Que apure os fatos, verifique. Mas tem que apurar também quem foi que pagou todos os ônibus para as pessoas virem para o ato pró-Melo, quem pagou, se foi dinheiro público. Quem pagou as faixas que foram confeccionadas pra levar pra lá. Depois saber sobre os funcionários pagos com dinheiro público que estavam lá no evento, já que não é atribuição deles estar lá na Assembleia pra bater palma, saber o custo disso. Ele deveria estar lá nas unidades de saúde e educação. Quem é que paga por isso?”, rebate José Ricardo.

O parlamentar diz que “se é pra apurar alguma coisa, tem que começar por aí”. E acrescenta: “Eles querem mudar o foco, arrumar um culpado. Culpado de quê, se não houve crime nenhum. Disseram que foi feito um registro na delegacia por injúria. Que injúria? Injúria é quando você diz que alguém é ladrão, é isso e aquilo, e não é verdadeiro. Mas o rapaz falou toma lá teu dinheiro comprador de voto. E quem disse isso foi o TRE que o cassou por compra de votos”. (Any Margareth)