Governo afirma que ações de segurança pública estão normais; PMs contestam

Em Parintins, policiais ficaram aquartelados e não foram às ruas

O secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Bosco Saraiva tem repetido para os veículos de comunicação local, desde a noite dessa quarta-feira (14), que a segurança pública no Estado está em total normalidade e que não houve adesão dos Praças da PM à paralisação. Porém, ele não divulgou os números de policiais que permanecerem em atividade. Já a (Associação dos Praças do Estado do Amazonas) informou que a paralisação realmente foi regular durante a noite de ontem, quando cerca de 295 policiais cruzaram os braços. Porém, o presidente da entidade, Gerson Feitosa diz que o movimento ganhou força na manhã desta quinta-feira (15) com adesão de 96% dos PMs e previsão de chegar aos 100% até a noite.

Segundo Feitosa, a estratégia usada pela SSP-AM para tentar manter a estrutura padrão de patrulhamento, foi ‘remanejar’ os profissionais da administração para substituir os policiais faltosos que atuam nas ruas da capital. “As viaturas foram montadas (formadas) por oficiais do administrativo”,disse.

No interior, a Apeam teria registrado paralisação total da tropa em municípios como Parintins, Manacapuru, Maués, Tabatinga, Humaitá. Um total de 136 PMs paralisaram as ações de policiamento ostensivo no interior do Estado.