Governo de Wilson Lima descumpre decisão judicial e não paga TFD de garoto com doença renal

A decisão foi assinada pelo juiz Ronnie Frank Torres Stone, da 1ª Vara da Fazenda Pública no último dia 20 de setembro e previa pagamento imediato do auxílio.

Em tom de desalento e desespero, a mãe do menino Isaque Emanuel Gama, que passa por tratamento de doença renal crônica em São Paulo, Juliana Pereira, contou ao Radar, através de contato telefônico, que tem passado por necessidades para pagar aluguel, transporte e até alimentação porquê a Secretaria de Saúde do Amazonas (SES) continua sem pagar o Tratamento Fora de Domicílio (TFD) que possibilitaria sua permanência em São Paulo e a continuação do tratamento do menino Isaque.

A denúncia é realizada uma semana após a Justiça determinar que governo do Amazonas pague imediatamente o auxílio no valor de R$2.200 à família do adolescente de 12 anos. Juliana aponta que a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) ignorou a sentença e segue sem atendê-la, e que a colocou em uma das últimas posições da lista do recebimento.

“Eles falaram comigo um dia antes da decisão e depois sumiram. Tentei ligar, mandar mensagem e só que soube foi que eu estava na posição 213 da lista de recebimento deste mês de setembro. Mas já faz duas semanas que o pagamento parou no ‘número’ 207”, revelou.

A demora no pagamento ao longo do mês tem causado uma série de transtornos na vida de Juliana, que é chefe de família.

Ela precisa pagar aluguel, que custa em torno de R$700 reais, água, luz e a alimentação, sendo ainda mais cara porque a condição de Isaque requer uma alimentação balanceada e com carnes de qualidade. Até agora, ela está se mantendo com “vaquinhas” (arrecadações) e empréstimos.

“O mês já está acabando e logo precisarei pagar todas essas contas de novo: aluguel, comida…e o TFD não é pago. Eles precisam entender que isso não é brincadeira ou luxo. Por mim, eu dava jeito, comia ovo, salsinha, que também estão caros, mas não é sobre mim, é a saúde do meu filho”, afirma a mãe do garoto.

Indo além dos prejuízos em casa, a falta do pagamento resulta no desamparo de saúde. Juliana conta que recentemente Isaque teve um episódio de aumento da pressão arterial (causada pela condição dos rins), onde sentiu fortes dores no peito, mas não pôde ser levado ao hospital por falta de dinheiro, pois o que arranjou, era necessário apenas para se alimentar.

“Ele passou muito mal, a pressão foi à 19. Ele começou a se queixar de muita dor no peito e eu fiquei desesperada, pois não tinha um real para pagar um Uber para levá-lo ao hospital. Esse é o tipo de situação que o TFD auxilia”.

E a falta de transporte não é só durante emergências. Atualmente, Isaque vai ao centro de tratamento somente de ambulância, uma alternativa providenciada pelo hospital de Sao Paulo, onde o menino faz o tratamento, uma situação vergonhosa em que o governo do Amazonas se nega a prestar assistência aos seus cidadãos enquanto outro Estado é que tem que dar apoio.

“Eles dão um jeito para nos ajudar, porque eles veem que precisamos. Estamos aqui porque no Amazonas não há estrutura para o tratamento do meu filho”, finalizou.

Ajuda

Em caso de interesse, as doações para ajudar a custear a permanência de Isaque em São Paulo podem ser feitas através de transações pix. A chave é o número (92)992716599, banco Itaú, titular Juliana Pereira Gama.