Governo deverá garantir que greve dos professores não prejudique ano letivo

O Governo do Amazonas deverá  garantir que a greve dos professores da rede pública que já entrou na segunda semana em todo o Estado, não prejudique o cumprimento do ano letivo de 2019. A informação foi dada pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM) após reunião com o Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom Sindical), nessa quinta-feira (2), na sede do órgão, zona Oeste da capital.

Na ocasião, a entidade sindical protocolou um documento no MP para solicitar uma ação de cobrança sobre o governo para solucionar a greve da categoria, iniciada no último dia 15 de abril. Para os professores, a intermediação do Ministério Público dá peso ao entrave com o Executivo.

“Nós temos de concretizar 200 dias de aula no ano letivo e quanto mais a greve se prolongar mais essa situação fica difícil. Nós teremos de fazer a reposição e temos de fazer com qualidade. Já são 11 dias úteis parados e, por isso, precisamos de uma resposta concreta aceitável por parte do Governo”, afirmou a Coordenadora Geral do Sindicato, Helma Sampaio.

A Procuradora-Geral de Justiça, Leda Mara Nascimento Albuquerque afirmou que vai provocar uma audiência com o governador Wilson Lima (PSC) para ouvir qual o planejamento atual do Poder Público para que não aconteçam os prejuízos aos estudantes. “É atribuição do MP fazer essa intervenção junto ao Governo do Estado para que nós possamos ajudar na finalização desse movimento de greve e, com isso, as aulas sejam retomadas e os alunos possam ter oportunidade de ter o ensino de forma efetiva”, disse.

Com uma possível reunião entre os professores e o governador para tratar sobre o assunto, os profissionais da educação deslumbram uma resposta do Chefe do Executivo para solucionar a greve.  “Assim que o MP marcar a reunião com o governador, o Asprom Sindical será avisado para que possamos, em seguida, termos acesso à resposta dada pelo governo”, adiantou Helma Sampaio.

Durante a reunião, os promotores também orientaram os professores quanto a preocupação do órgão com os dias parados, sem aula, o que pode prejudicar a qualidade do ensino e o próprio cumprimento do cronograma de aulas do ano letivo em curso. Os professores foram alertados para o problema, sendo lembrados que eles também devem atentar para o problema, apesar do pleito grevista ser reconhecido como legítimo pelo Ministério Público.

Confira documento protocolado pela Asprom Sindical

Com informações da assessoria do MP-AM.