Governo do AM já pagou quase R$ 30 milhões por obras de infraestrutura que não existem na AM-010 

Há trechos quase que intrafegáveis na rodovia e os acidentes são constantes 

Governo do AM paga R$ 29,2 milhões na reforma da AM-010, porém via continua esburacada

Foto: Reprodução

Mesmo com o estado cada dia mais precário da rodovia AM-010, o governador do Amazonas, Wilson Lima (União Brasil) já gastou recursos públicos no valor de quase R$ 30 milhões para obras de pavimentação e duplicação da AM-010 que não foram realizadas. O que tem sido feito em trechos da rodovia até o município de Rio Preto da Eva (Km 78) é um serviço de tapa-buraco que, os moradores ao longo da estrada, denunciam ser um serviço mal feito, já que dias depois os buracos estão abertos novamente.

Passando de Rio Preto da Eva, a caminho de Itacoatiara (Km 267), há trechos quase intransitáveis na AM-010, com crateras, falta de acostamento e o mato invadindo a pista. Um vídeo encaminhado ao Radar Amazônico, nesta segunda-feira (21), mostra a péssima condição da rodovia.

O governo de Wilson fez o contrato n.º 027/2021, afirmando ser pelo menor preço, com valor global de R$ 366.051.861,42 (trezentos e sessenta e seis milhões, cinquenta e um mil, oitocentos e sessenta e um reais e quarenta e dois centavos), porém o contrato não foi encontrado para que os detalhes da contratação sejam vistos.

Mas, no site do próprio governo do Amazonas, o Radar encontrou quais as obras que seriam feitas a partir de agosto do ano passado na AM-010. “As obras na AM-010 contemplam 250,4 quilômetros e vão gerar 10 mil empregos. Incluem a construção de um novo pavimento, implantação de acostamentos e novas sinalizações horizontal e vertical. A pista da rodovia será alargada e passará a ter 11 metros de largura. Serão construídos acostamentos de 1,5m de largura ao longo de toda extensão da obra, além de terceiras faixas em 27 pontos críticos de ultrapassagem”, anunciou o governador Wilson Lima. Nada disso até agora aconteceu.

Pagamentos

As informações sobre os pagamentos estão no site da Transparência do Governo do Amazonas, onde mostra que em 2021, o Consórcio AM-010 foi representado pelas empresas POMAR COMÉRCIO DE DERIVADOS DE PETRÓLEO E CONSTRUÇÃO EIRELI, COMPASSO CONSTRUÇÕES, TERRAPLANAGEM E PAVIMENTAÇÃO LTDA, IZA CONSTRUÇÕES E COMÉRCIO EIRELI, ECOAGRO COMÉRCIO E SERVIÇOS AMBIENTAIS LTDA E BEST TRANSPORTES E CONSTRUÇÃO LTDA.

Segundo o portal da transparência, em 2021, foi empenhado o valor de R$ 10.741.197,46 (dez milhões, setecentos e quarenta e um mil, cento e noventa e sete reais e quarenta e seis centavos). Deste valor, foram pagos R$ 7.177.776,44 (sete milhões, cento e sessenta e sete mil, setecentos e setenta e seis reais e quarenta e quatro centavos), ficando para ser pago em 2022, o valor de R$ 3.563.421,02 (três milhões, quinhentos e sessenta e três mil, quatrocentos e vinte e um reais e dois centavos).

No início do ano de 2022, o deputado estadual Dermilson Chagas (sem partido) denunciou o caso, questionando quem havia atestado a obra, sendo que a rodovia continua com problemas técnicos.

 

Já em 2022, segundo a aba de despesas do site da transparência, o valor pago pelo Governo do Amazonas já chega a R$ 18.494.017,01 (dezoito milhões, quatrocentos e noventa e quatro mil, dezessete reais e um centavos). Somados ao “pago de exercício anterior”, R$ 3.563.421,02 (três milhões e quinhentos e sessenta e três mil e quatrocentos e vinte e um reais e dois centavos), o valor chega a R$ 22.057.438,03 (vinte e dois milhões, cinquenta e sete mil, quatrocentos e trinta e oito reais e três centavos), com mais o  pagamento feito em 2021 de 7.177.776,44 (sete milhões, cento e sessenta e sete mil, setecentos e setenta e seis reais e quarenta e quatro centavos), essa cifra atinge quase R$ 30 milhões.