Governo do Amazonas proíbe transporte intermunicipal de passageiros e fecha academias, mas igrejas evangélicas ficam abertas

O Governo do Amazonas editou o decreto n.° 43.277, nesta terça-feira, 12 de janeiro de 2021, endurecendo novamente as medidas de enfrentamento a epidemia do novo coronavírus, após o aumento dos casos de infecção e de mortos por Covid-19. O decreto proíbe o transporte intermunicipal de passageiros, tanto fluvial quanto rodoviário, ficando permitido apenas o transporte de carga. O novo decreto a ser publicado no Dário Oficial tem validade até 19 de janeiro.

Contradição visível captada pelo Radar no decreto do governador Wilson Lima é o tratamento dado às academias e igrejas, que passaram a ser serviço essencial após aprovação pela Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), de projetos de autoria dos deputados Josué Neto e do pastor evangélico João Luiz, respectivamente. O governador sancionou os dois projetos que se transformaram em Leis estaduais, colocando as duas atividades na lista dos serviços essenciais. Mas, o governador decidiu que as academias fecham e somente as igrejas ficam abertas.

Grande parte das denominações religiosas decidiram manter as atividades apenas de forma virtual, como as igrejas presbiterianas e adventistas e a igreja Católica, mas as igrejas Universal do Reino de Deus (IURD)e a Assembleia de Deus (IEADAM), esta última comandada pelo deputado federal Silas Câmara e seus irmãos, os pastores Jonatas e Samuel Câmara, insistem em manter cultos presenciais.

Segundo determinação do governador Wilson Lima serão fechados centros de ginástica e similares, e marinas, para atividades de lazer.

Veja decreto na íntegra