Governo eleito garante que plano de saúde dos professores será retomado neste domingo (30) (ver vídeo)

Após professores da rede estadual de Ensino denunciarem ao Radar a suspensão do plano de saúde por falta de pagamento por parte da atual gestão da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), o deputado estadual Luiz Castro (Rede) que assumirá a pasta dia 1 de janeiro de 2019, anunciou que o atendimento do plano de saúde dos servidores da educação será retomado a partir da meia noite desse domingo (30).

“Com o comprometimento do governador eleito Wilson Lima, conversamos com os representantes da empresa e vamos negociar e honrar as dívidas que estão sendo deixadas pela atual gestão. Esse é um problema que não terá espaço no nosso Governo. Vamos trabalhar juntos para garantir os direitos dos nossos servidores”, afirma Luiz Castro, através de um texto enviado ao Radar e também publicado em sua página oficial nas redes sociais.

A publicação que foi postada neste sábado (29), acompanha um vídeo do parlamentar ao lado de Wilson Lima. “Castro me falou da preocupação dos professores e demais profissionais da educação sobre o plano de saúde e quero dar a boa notícia: o atendimento na Hapvida vai continuar sim”, afirmou o governador eleito.

Nessa sexta-feira (28), os professores chegaram a realizar um ato público em frente à sede da Seduc, na zona Centro-Sul de Manaus para cobrar uma solução sobre o impasse já que a pasta alega não ter pendências com a operadora – pelo jeito alguém está mentindo.

Segundo o Sindicato dos Professores e Educadores de Manaus (Asprom), os profissionais da educação da capital e do interior do Estado não conseguem realizar atendimento médico, há pelo menos, uma semana.

“Nós buscamos contato com a Hapvida que nos disse que somente as pessoas com dependentes inadimplentes com a empresa, mesmo que fosse um único mês, tiveram o plano de saúde suspenso. Mas isso não corresponde com a realidade, já que recebemos centenas de denúncias de titulares sem pendências que também estão sentindo dificuldades para marcar consulta, fazer exames e serem atendidos em Pronto-Socorro”, relatou o representante da Asprom, Lambert Melo.

Em nota ao Radar, a Seduc apenas informou que já autorizou o pagamento do plano de saúde na semana passada. A autorização teria sido enviada à Secretaria do Estado da Fazenda (Sefaz-AM) para que o repasse fosse realizado.