Governo fecha escola e coloca alunos surdos num “cafofo”, denuncia deputado

No ano em que o tema da prova de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi sobre “as dificuldades educacionais dos surdos e mudos no Brasil”, o Amazonas vai na contramão da consciência e da sensibilidade das dificuldades que esses alunos têm de acesso a um ensino tão complexo.

Isso fica claro na denúncia feita pelo Radar, no dia 24 de novembro, sobre protesto de alunos surdos que foram despejados pelo próprio Governo do Estado da escola que funcionava no mesmo local há 30 anos, denúncia para a qual o Governo se fez de surdo. Esta semana, o deputado estadual Sinésio Campos (PT), também levou esse assunto ao plenário da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam).

Segundo ele, a única escola para surdos e mudos em Manaus, a Augusto Carneiro, foi fechada e os alunos colocados em outro local sem as mínimas condições para a realização deste ensino tão complexo. Sinésio disse que visitou o novo estabelecimento, atendendo um apelo dramático de pais e mães, e dos próprios alunos, dizendo que lá encontrou apenas um “cafofo”, sem estrutura para promover a educação das pessoas surdas e mudas

O deputado pediu atenção especial do deputado Dermilson Chagas (PDT), líder do governo na Casa, do presidente da Comissão de Educação, Donmarques Mendonça (PSDB) e do vice-líder do governo Vicente Lopes (PMDB), para desfazerem essa injustiça.

Os alunos querem voltar para a antiga escola em que estavam e que, vale a pena lembrar, foi construída exatamente em gestão passada de Amazonino Mendes (PDT), quando este era prefeito de Manaus.

“A escola foi construída na Avenida Joaquim Nabuco com a Tarumã e abrigava um grande número de alunos, depois foi fechada e os alunos transferidos para a escola de órfãos, próximo ao Teatro Chaminé. Esses alunos foram deslocados para estudar nesse local que só tem duas salas pequenas divididas por compensados e contam a boa vontade da diretora”.

Sinésio solicitou ao deputado Donmarques, presidente da Comissão de Educação, uma reunião urgente com o secretário de Educação e chegou, inclusive, a dar uma sugestão de que esses alunos poderiam ser alocados na Escola Saldanha Marinho que hoje está desocupada e pode atender as necessidades tanto de professores e dos alunos.

Sinésio recebeu aparte em seu discurso dos deputados Donmarques (PSDB) e Dr. Gomes (PSD) garantindo apoio à solicitação do petista.