Governo suspende todas as obras do Estado sob alegação de possíveis irregularidades (ver vídeo)

O governador do Estado, Amazonino Mendes (PDT), paralisou todas as obras que estavam sendo realizadas no Amazonas. A informação foi divulgada pelo secretário de Estado de Infraestrutura, Oswaldo Said Júnior, e confirmada pelo líder do governo na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Dermilson Chagas (PEN).

De acordo com o parlamentar a paralisação de todas as obras é uma medida do governo para saber ‘quem é quem’. Dermilson ressaltou que as obras continuarão paralisadas por 90 dias para que Amazonino tenha ciência do que já foi pago para as empreiteiras e para averiguar, inclusive, possíveis irregularidades.. Segundo ele, o Estado tem contratos vencidos e por indenização, além de empresas que não apresentaram relatório e que estão fazendo serviço sem contrato, apenas verbalmente.

“Podem ficar despreocupados, porque as obras vão voltar com responsabilidades com a lei, com intensa fiscalização para evitar qualquer serviço mal feito. O dinheiro está em caixa, e o Governo vai tocar isso depois de analisar os contratos. Isso é ter responsabilidade com o dinheiro público”, disse.

Para a deputada Alessandra Campelo (PMDB), as obras não deveriam ser apenas paralisadas, mas o dinheiro público pago as empreiteiras, caso haja desvio, deveria ser devolvido e quem desviou ser preso. “Eu acho que algumas obras não devem ser apenas paralisadas, mas o dinheiro delas deveria ser devolvido e os gestores públicos responsáveis por isso deveriam ser presos”, disparou.

A deputada lembrou da declaração do ex-secretário Gilberto de Deus, que afirmou, em novembro de 2015, que mais de R$ 400 milhões foram desviados. “Até hoje nada foi feito em relação a isso. Espero que essa paralisação seja realmente para ver quem roubou dinheiro público e deixou o Estado no caos que está”, afirmou.