Grávida troca tiros para salvar vida do marido, mas ele acaba morto

Foto: Jhonata Lobato / Radar Amazônico

Um vendedor de água, ainda não identificado, foi morto a tiros na tarde desta sexta-feira (25). O crime aconteceu por volta das 17h30, quando dois homens, também não identificados, entraram na Galeria dos Remédios e dispararam diversas vezes contra a vítima, na rua Marquês de Santa Cruz, Centro de Manaus. A esposa da vítima, que estava grávida também atirou contra os suspeitos e acabou sendo atingida.

De acordo com uma testemunha que também é ambulante na localidade, os suspeitos estavam de paletó e entraram na galeria pela rua Miranda Leão. Passaram pelas vítimas (o vendedor de água, que morreu; a grávida que é esposa que vendedor de água; e do suposto alvo, conhecido apenas como “Cabelo”), desceram as escadas e ao chegarem na porta do estabelecimento [pela Marquês], atiraram pela grade.

“Quando os dois efetuaram os disparos, a mulher do morto sacou um revólver e também atirou. Um dos tiros dela pegou na perna dos assassinos, mas os tiros deles atingiram o braço dela. Também acertaram o cabelo e deu pra entender que era ele quem os criminosos queriam matar. O marido dela morreu de graça”, contou  a testemunha que preferiu anonimato.

A vítima foi alertada

A equipe da RADAR conseguiu falar com a mãe do homem que morreu, ela nos contou que há tempos o filho era ameaçado e, que ela o aconselhava a não vender mais água no Centro, mas que procurasse outro local para conseguir o sustento para cuidar da família dele.

“Minha nora me ligou do hospital contando sobre o ocorrido, eu também trabalho no Centro e não acredito que fizeram isso com meu filho. Hoje mesmo eu avisei para ele não vir pra cá, mas eu acredito que tudo tem um propósito, e infelizmente o dele foi esse. A esposa dele me contou também que ele estava armado e tentou atirar nos bandidos. Agora eu não sei da onde ele arranjou arma e pra quê”, relatou a mãe.

Quando nossa equipe informou a mulher que teria sido a nora dela quem efetuou os disparos, a mulher ficou perplexa. E após a breve conversa ela foi ao Instituto Médico Legal (IML) para reconhecer o corpo do filho.

Diligências

Os Policiais Militares da 24ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) foram até o local com informações de tiros na região. Ao chegarem no endereço, se depararam com o homicídio e rapidamente isolaram o cenário do crime.

Os paramédicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado para prestarem os primeiros socorros à grávida e a encaminharam ao Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, onde recebeu suporte médico.

A equipe da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) compareceu ao local e colheu informações que ajudarão a solucionar o caso.

Peritos do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) constataram que a vítima foi atingida com aproximadamente 10 tiros.

Por fim o corpo do vendedor foi recolhido pelos funcionários do IML para realização de exame de necropsia.

Câmeras de segurança no local ajudarão a identificar os suspeitos para que a Polícia Civil comece as buscas pelos responsáveis.