Grêmio vence Lanús com gol de Cícero e abre final da Libertadores com vantagem

O tri está cada vez mais perto. Em uma partida disputada, com todos os elementos de uma final de Libertadores, o Grêmio venceu o Lanús por 1 a 0 na noite desta quarta-feira, na Arena, e leva a vantagem para os 90 minutos que decidem a competição, daqui a uma semana, na Argentina. Após quase sofrer o gol no primeiro tempo, Renato Gaúcho mostrou a estrela que brilha mais alto no firmamento tricolor e colocou Jael e Cícero na etapa final. Com passe do centroavante, o meio-campista superou Andrada aos 37 minutos e fez o estádio explodir. O título gremista está logo ali.

PRIMEIRO TEMPO

Não há decisão sem nervosismo. E, quem esperava um jogo fácil para o Grêmio, errou. O Lanús não deu espaço para o time da casa. E, a partir da metade do jogo, com a confiança aumentando, começou a se soltar. O time foi para frente e só não saiu em vantagem porque Marcelo Grohe vive fase espetacular. O goleiro fez dois milagres, em lances de Martínez e Braghieri. No final, Ramiro caiu na área após dividir com marcadores argentinos, mas a arbitragem entendeu o lance como normal.

SEGUNDO TEMPO

O Grêmio voltou melhor do intervalo e passou a controlar as ações, com o Lanús postado para se defender. Aos 10, Bruno Cortez soltou uma bomba de fora da área e obrigou Andrada a fazer sua primeira defesa. Renato tirou Jailson, Fernandinho e Barrios para as entradas de Cícero, Everton e Jael. Cícero mandou uma cabeçada por cima aos 31. Mas aos 37 ele definiu a vitória. Edílson fez um longo lançamento quase do meio de campo, Jael desviou de cabeça, e o meio-campista deu um leve toque na bola para mandar ao gol. No último lance do jogo, Jael foi derrubado na área, mas o árbitro Júlio Bascuñan preferiu encerrar a partida, para a ira dos tricolores.

SEM SALDO QUALIFICADO

Com a vitória, o Grêmio precisa de um empate para erguer a taça no dia 29, no estádio La Fortaleza, em Lanús. Se os argentinos devolverem o placar de Porto Alegre, a decisão vai para os pênaltis. Ainda, na final da Libertadores, não há saldo qualificado. Ou seja, se o Tricolor marcar, mas perder por um gol de diferença, tudo se decide também nas penalidades.

Fonte: GE