Anúncio Advertisement

Grupo de trabalho vai acelerar trâmites da obra de revitalização do Distrito Industrial

Com a primeira fase das obras aprovadas e faltando apenas alguns ajustes técnicos para liberação do edital de licitação, em breve, o Distrito Industrial começará a recuperar sua característica de cartão-postal. Nessa terça-feira (27), um grupo de trabalho foi criado pela Prefeitura de Manaus e pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) para acelerar os trâmites finais da revitalização do Distrito.

Segundo o prefeito Arthur Virgílio Neto, o imbróglio jurídico já dura cinco meses, mas todos os entraves têm sido vencidos. “Conseguimos dividir as obras em três lotes, o que vai nos possibilitar um melhor gerenciamento e mais celeridade nos serviços. O lote 1 foi aprovado e estão em análise os lotes 2 e 3. Agora é questão de detalhes para iniciarmos a primeira fase das obras e tornar o nosso Distrito Industrial mais atrativo aos investidores”, destacou.

A divisão do projeto executivo em três lotes levou em consideração toda a geografia da área do Distrito Industrial, a tipologia do solo e os problemas encontrados nas vias. Questões mais simples, como recapeamentos, serão executados no primeiro lote e serviços intermediários serão feitos no segundo. Já serviços mais complexos, que são em menor quantidade, serão solucionados no terceiro lote.

“A criação desse grupo de trabalho é muito importante para pôr fim aos entraves técnicos que impedem a fase licitatória. Serão 15 dias de intensa atividade das nossas equipes técnicas para que, neste prazo, possamos finalmente avançar para a execução do projeto”, reforçou o superintendente Appio Tolentino.

As ações de revitalização das vias do Distrito Industrial envolvem recursos do Ministério do Planejamento, na ordem de R$ 150 milhões, garantidos no Tesouro Nacional.

Também participaram da reunião o vice-prefeito e secretário municipal de Infraestrutura (Seminf), Marcos Rotta, e demais dirigentes da Suframa e da Prefeitura de Manaus envolvidos no projeto, bem como membros da empresa AGC Engenharia, responsável pelo projeto executivo das obras do Distrito Industrial.

Fotos: Alex Pazuello / Semcom